Tranças e laces: saiba mais sobre o estilo dos cabelos de Camilla de Lucas, do BBB21

A participante do BBB21 retirou recentemente as tranças e optou por usar uma lace. Entenda o que são essas tendências de moda e como usar

Camilla de Lucas usando diferentes tipos de laces
Legenda: Camilla de Lucas usando diferentes tipos de laces
Foto: Reprodução

Quem acompanhou a "tour" da retirada das tranças de Camila de Lucas no BBB? A sister contou com a ajuda dos colegas Carla Diaz, João Luiz, Juliette, Sarah, Thaís e Viih Tube para cortar as boxes braids e deixar o cabelo natural até a aplicação da lace. A “bloguerinha real”, como é conhecida pelos fãs,  é conhecida por mudar sempre de visual em suas redes sociais.

Mas você sabe o que são box braids e laces? Como são aplicadas e quais cuidados devem ser tomados? A #dicasisi de hoje vai te explicar as técnicas capilares que estão em alta.  

Tranças Box Braids, funali braids ou nagôs 

As tranças de origem africana têm feito sucesso e estão bombando nas pesquisas em sites de busca devido a asserção da participante Camilla de Lucas. O método consiste em unir fibras sintéticas em toda a extensão do cabelo natural, deixando os cabelos com mais volume e ajudam a aumentar o comprimento capilar. O procedimento é feito desde a raiz, normalmente com a divisão quadriculada dos fios, porém pode variar de acordo com o perfil da cliente. 

Camilla de Lucas de tranças
Legenda: Camilla de Lucas de tranças
Foto: Reprodução

Em entrevista para a SISI, as fundadoras do estúdio Pró Afro, Nathalia Arruda, 23, e Kathleen Alves, 23, explicam a diferença entre termos que são comumente confundidos. “Rastafari é um movimento religioso criado na Jamaica, na década de 30. E os dreads são um tipo de penteado que precisa embaraçar os fios, podendo ser tanto no cabelo natural, como sintético”, afirmam. 

Nathalia Arruda, sócia idealizadora Pro Afro Collab
Legenda: Nathalia Arruda, sócia idealizadora Pro Afro Collab
Foto: Reprodução

Kathleen Alves, sócia do estúdio Pro Afro Collab
Legenda: Kathleen Alves, sócia do estúdio Pro Afro Collab
Foto: Reprodução

As fundadoras comentam que o estilo dos tipos de tranças mais escolhidos são as boxes braids, por conta do maior tempo de durabilidade e da maior visibilidade no mercado.  

“Me identifico muito com as tranças. Eu sempre gostei de reinventar, os cabelos são uma ferramenta de expressão muito forte”, afirma Beatriz Luiza, 36.

A representante de telecomunicações, carioca da gema, sambista da escola Salgueiro, se mudou para Fortaleza há mais de quatro anos e ama mudar o visual, porém, afirma já ter sofrido preconceito. “Falam que eu sou doida, mas alguns até gostam”, afirma.

Beatriz Luiza de tranças
Legenda: Beatriz Luiza de tranças
Foto: Reprodução

Os tipos de fibras sintética variam conforme a preferência dos usuários, depende do custo benefício e qual estilo mais agrada. Os fios podem ser produzidos de três formas: "jumbo", mais leve e mais cara e os “de linha” e as "de lã" que são mais pesadas na cabeça porém, são mais baratas. Veja a seguir os três modelos:

As sócias da Pró Afro dão algumas dicas de cuidados com as tranças: “Na hora do banho a atenção precisa ser dobrada, o shampoo precisa ser diluído, de preferência dentro de um borrifador para facilitar a lavagem completa, e ajudar na retirada de todo o produto. O uso do shampoo, é somente no couro cabeludo e as lavagens precisam ser pela manhã, deixando secar naturalmente, evitando o uso de secador.  Evite o uso de cremes ou óleos na raiz, escolha tônicos capilares. Para dormir, use as toucas de cetim para evitar os frizz”, afirmam Nathalia Arruda e Kathleen Alves. 

Outro cuidado importante ocorre durante a praia. O excesso de areia do mar pode dificultar a lavagem completa. É preciso ter cautela. Já em piscina é mais tranquilo.  

A duração das traças no couro cabeludo depende de alguns fatores: crescimento e tipo de fibra capilar e cuidados em geral. As sócias indicam retirar as tranças entre um ou dois meses para cabelos lisos e ondulados e de dois a três meses para cabelos cacheados e crespos. No entanto, não é recomendável passar de três meses pois o cabelo precisará de cuidados.  

Para retirar as tranças é preciso ser feito de forma manual, de trança em trança. “O ideal não seria ir correndo para o banheiro lavar, o melhor a fazer seria tirar todo o resíduo da raiz, abrindo com cuidado o cabelo. Em seguida, fazer uma umectação de óleos ou cremes e deixar alguns minutos. Só após o tratamento, pode ser feito a lavagem e reconstrução dos fios”, ressaltam Nathalia Arruda e Kathleen Alves. 

Pra quem deseja fazer a reutilização dos fios sintéticos, é necessário a higienização e armazenamento adequado. Após a retirada das tranças, Camilla de Lucas apostou em uma lace morena iluminada de cabelos ondulados. 

Laces e Wigs 

Camilla de Lucas usando diferentes tipos de laces
Legenda: Camilla de Lucas usando diferentes tipos de laces
Foto: Reprodução

Lace em tradução livre no inglês, significa laçado e wig são perucas.  Mas em nada se parecem com aquelas perucas tradicionais, usadas em fantasias, por exemplo. As laces são feitas com uma tela que simula o couro cabeludo, no qual os fios (orgânicos ou naturais) são inseridos de um a um, ficam mais próximo um dos outros, em um acabamento mais realista, diferentemente das wigs que não são tão trabalhadas, sendo assim, mais baratas.  

As sócias da Pró Afro avaliam que, em média, o valor as laces com cabelo humano estão em alta, são bem realistas e custam caro. Uma boa alternativa são perucas de cabelo orgânico. A dica é procurar as full lace (touca feita sob medida que cobre toda a cabeça) que são melhores do que as front lace (base fixa na parte da frente da cabeça) e duram mais. No Brasil ainda há uma certa resistência à tendência.  

“Acredito que o preconceito vai além do cabelo ainda remeter aquela imagem antiga da peruca, chega até no racismo estrutural. Muitos não sabem, mas o movimento que marcou o boom das laces e wigs veio da mulher negra", afirmam Nathalia Arruda e Kathleen Alves.

"Desde o antigo Egito até aqui, as mulheres negras vem atravessando as décadas usando wigs e laces como objetos indenitários. Porém, ainda hoje, quando associada a nós, é visto como não higiênico, cabelo falso e feio. Mas se uma mina branca usa um aplique de cabelo ou se está lá uma Kim Kardashian ou Katy Perry posando de lace, vira trend”, complementam. 

O uso das laces exploram várias versões de si, além de ser um suporte importante quando o assunto é transição capilar. “Ajuda muitas pessoas a não desistir desse momento tão complicado que é se libertar da química”, complementa as sócias da Pró Afro. 

“Eu acompanho algumas tendências afro e foi assim que conheci as laces e a praticidade que elas oferecem. No momento, estou em transição capilar e, desde então elas fazem parte do meu cotidiano e o modelo que mais me agrada é a Chanel”, comenta Beatriz Luiza. 

De acordo com Nathalia Arruda e Kathleen Alves, a manutenção das laces ocorre de forma bem simples, basta lavar com shampoo, preferência anti resíduo, hidratando e desembaraçando os fios com creme ou reparador de pontas.  

Liberdade 

Ter a liberdade de escolher e experimentar qual estilo e tendência usar nos cabelos e uma forma de se amar, de admirar as diversas versões de si. 

“O uso de trança representa o auto reconhecimento e uma forma de defesa diante de tantos padrões que não nos encaixamos. Um conforto para quem está usando algo cultural que nós foi arrancado. Vejo o mundo se tornando mais aberto, tanto para as minorias como para os não representados. Há uns cinco anos, não éramos vistas como algo belo e admirável. Hoje, cada vez mais somos vistas, temos mais acessos e oportunidades, que antes não teríamos. Mesmo diante de tanto preconceito, que ainda existe, estamos vivamos e lutando por um mundo mais livre, para deixar cada um ser do jeitinho que quiser”, enfatizam Nathalia Arruda e Kathleen Alves. 

Cabelo natural   

Nathalia Arruda e Kathleen Alves dão algumas dicas para os cuidados com cabelos cacheados e crespos:  

-  Cabelos cacheados e crespos, são naturalmente ressecados e necessitam de bastante óleo para repor essa nutrição. 

- Recomendável fazer o uso de umectações com óleos, cremes para pentear, sempre sem entrar em contato com o couro cabeludo 

- Evitar sempre o uso de shampoos com sulfato (mais conhecido com sal) parabenos e petrolatos. 

- O conhecimento será seu maior aliado. Então, procure conhecer seu tipo de fio, e fazer um cronograma capilar, para repor a necessidade que ele precisa. 

Camilla de Lucas, participante do BBB21
Legenda: Camilla de Lucas, participante do BBB21
Foto: Reprodução

“Blogueirinha Real”  

Para quem não a conhecia antes do BBB, Camilla de Lucas, 26, é natural de Nova Iguaçu (RJ) e bombou na internet durante a pandemia. Antes de se tornar famosa, a atriz trabalhava em uma imobiliária e estudava contabilidade.  

Há pouco tempo, a digital influencer conseguiu realizar o sonho de dar um carro de presente ao seu pai que caiu no choro de alegria.   


Assuntos Relacionados