Quem aí sabe fazer arroz? A SISI te mostra os segredos para a receita perfeita

No BBB, Projota e outros participantes mostraram que não sabiam cozinhar nem arroz. A chef Bia Leitão mostra como preparar uma receita sem erro e ainda reflete sobre o machismo e os hábitos alimentares

Arroz soltinho
Legenda: Arroz soltinho
Foto: Gabi Dourado

Quem está acompanhando o BBB e viu a confusão do arroz queimado? “Tem que comer arroz queimado porque não puderam fazer um arroz?”, Juliete dispara para os brothers e se mostra visivelmente chateada ao perceber que sobrou restos de comida para Fiuk. Justamente ele que fez comida para todos e que estava na prova do monstro mais difícil dessa edição, pelo menos até agora.  

Em seguida, o rapper dispara a seguinte frase: “Você sabe dizer como fazer um arroz porque eu faço agora. Eu não sei fazer”. Pois bem, Projota, a #dicasisi de hoje é para você e todos que não sabem fazer um dos alimentos preferidos do brasileiro.  

Bia Leitão, mãe de dois, feminista e chef de cozinha há mais de 10 anos, ensina alguns truques para seu arroz ficar soltinho e saboroso.  

Bia Leitão, chefe de cozinha
Legenda: Bia Leitão, chefe de cozinha
Foto: Bia Leitão, chefe de cozinha

“O arroz é tão sensitivo, é tão materno.  Arroz é simples demais, gente. E é nessa simplicidade que a gente erra. Às vezes, o que é mais simples tem uma dificuldade maior de execução, porque ela não cabe muito erro”, ressalta Bia. 

Arroz x BBB 

Bia parafraseia, Rita Lobo, chefe de cozinha renomada no País. “Todo mundo deveria aprender a cozinha que nem aprende a ler e escrever. Isso deveria ser uma disciplina de escola. Deveria fazer parte da educação de todos nós”.  

Para Bia, Projota não saber cozinhar reflete um pouco a questão machismo, mas não é só isso, pois algumas meninas também afirmaram não saber fazer.

“Ele come arroz a vida inteira e não é ele que está fazendo. Então tem aí um ‘caba’ já ‘coroa’ que não sabe fazer o próprio arroz. Ele nunca teve o interesse de aprender a se virar nesse sentido”, afirma. 

Projota no BBB
Legenda: Projota no BBB
Foto: Projota no BBB

Porém, o que Bia enfatiza vai muito além do arroz. O rapper tem péssimos hábitos alimentares.

“Não só não come legumes, mas praticamente debocha da comida de uma forma em geral. Não estou falando de uma questão de gosto. Isso tem muito a ver com educação alimentar”.

Para a chef, a introdução alimentar deveria iniciada desde a infância, de forma mais diversa, com vegetais, frutas e uma alimentação menos processada. 

“A má alimentação hoje é uma das maiores causas de morte do mundo, se não a maior porque são mortes geradas por hipertensão, infartos e tem a gênese na má alimentação. Vamos comer direito, vamos comer colorido, vamos comer cruz, vamos evitar açucares, vamos evitar sucos prontos, refrigerantes, gaseificados, embutidos de forma em geral”, afirma Bia.  

RECEITA: 

Bia normalmente usa só cebola e óleo, não curte muito usar azeite no arroz por ser um prato neutro. Pode ser óleo vegetal, de canola, de milho ou óleo de soja.

Começa refogando a cebola, mas sem deixar que ela doure muito para que o arroz não fique com cor. Quando a cebola ficar translucida, acrescenta o arroz na panela, mexe um pouco e acrescenta as duas xícaras de água. Acrescentar um pouco de sal a gosto. 

Medida: uma camada de arroz para duas de água fervendo, ou seja, uma xícara de arroz para duas xícaras de água.  

DICAS DA BIA:  

  • Colocar um pouco mais de água na medida, pois quando a água começa a ferver ela evapora um pouco; 
  • Mantenha em fogo baixo; 
  • Deixe a panela semi-tampada; 
  • Quando começar secar, verifica se os grãos da parte de cima da panela estão cozidos. Se estiverem crus, acrescenta um pouco mais de água e tampa a panela. Em seguida, apaga o fogo. 
  • Procure não mexer para não soltar o amido do arroz; 

Bia não lava o arroz antes de colocar na panela. O que pode ser muito estranho para uma geração mais antiga. “Tinha-se o medo dele ficar mais grudado (se não for lavado). É um risco que se corre mesmo, porque ele fica com mais amido. Mas se você não ficar mexendo o arroz, ele não vai soltar tanto o amido”.  

“Não vamos ter medo de arroz. É uma barreira que precisa ser superada”, afirma Bia.