Caso Lorrany: Justiça decreta prisão de ex-namorado suspeito de matar a estudante

A jovem de 19 anos foi encontrada morta após embarcar em uma motocicleta semelhante à do ex-companheiro

Lorrany Fernandes
Foto: reprodução/redes sociais

A Justiça de São Paulo acatou a solicitação de prisão temporária contra o ex-namorado da estudante de enfermagem Lorrany Fernandes, identificado como Antônio Carlos da Silva Freire, de 21 anos, suspeito de matar a jovem de 19 anos.

O corpo dela foi encontrado, nessa terça-feira (25), em uma zona de mata na cidade de Rio Grande da Serra, na Grande São Paulo. As informações são do portal R7

O pedido de detenção foi realizado na noite do dia em que o cadáver da vítima foi encontrado. Segundo a Polícia Civil, o tempo de prisão ainda não foi decidido. O suspeito prestou depoimento, acompanhado de duas advogadas e da mãe, também na terça-feira.

O corpo de Lorrany Fernandes foi sepultado no Cemitério Municipal de Rio Grande da Serra nesta quarta-feira (26). 

DESAPARECIMENTO DA JOVEM

A jovem estava desaparecida desde a noite da última quinta-feira (20), em Ribeirão Pires. O corpo dela foi encontrado na terça-feira, sem roupa e com sinais de ferimentos, além de estar em estado inicial de decomposição. A comprovação da identidade do cadáver ocorreu após a perícia confirmar que as digitais correspondiam com as de Lorrany.

Segundo o portal UOL, a jovem saiu de casa sem avisar aos familiares e foi se encontrou com o suspeito. O momento foi registrado por câmeras de segurança. Nas imagens, é possível observar que Lorrany encontra o ex-companheiro e, em seguira, embarca como passageira em uma motocicleta de cor vermelha.

O homem de 21 anos seria vizinho da vítima e possui uma moto semelhante à que aparece na gravação. Na terça-feira, ele prestou mais de 5 horas de depoimento no Setor de Homicídios de Santo André. Na ocasião, ele negou qualquer participação no desaparecimento da jovem e manteve-se calado, na maior parte do tempo, por orientação de suas advogadas.

SINAIS DE LUTA E CELULAR FORMATADO

Além de possui um veículo parecido com o que a vítima embarca na gravação registrada antes de desaparecer, a Polícia ainda encontrou indícios de que Lorrany trocou mensagens com uma conta fake momentos antes de desaparecer. 

A partir disso, segundo o inspetor Sandro, da Guarda Civil Municipal, a polícia fez diligências em uma loja de celular, onde o ex-companheiro havia deixado o aparelho, que, segundo ele, estava com defeito. O celular foi apreendido pelas autoridades, que descobriram que o telefone foi formatado e todas as mensagens apagadas.

Os investigadores também verificaram que o suspeito possuía arranhões nos braços. Quando questionado, ele justificou serem resultados de brigas com a atual namorada, que estava com ciúmes do antigo envolvimento dele com Lorrany.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil