EUA: Partido Democrata pede revisão de votos da prévia para escolher adversário de Trump

Pré-candidatos Bernie Sanders e Pete Buttigieg se encontram praticamente empatados com 97% dos votos computados

Legenda: Bernie Sanders (à dir.) e Pete Buttigieg disputam pau a pau nas primárias democratas
Foto: Fotos: AFP

Bernie Sanders e Pete Buttigieg se encontravam nesta quinta-feira praticamente empatados nas primárias democratas de Iowa (meio oeste dos EUA), com 97% dos votos computados. A cúpula do partido solicitou uma revisão desses resultados parciais, três dias depois do começo do caos causado por um problema técnico.

A cinco dias da próxima etapa das primárias, no estado de New Hampshire (noreste), Buttigieg tem 26,2% dos delegados em jogo em Iowa, contra 26,1% de Sanders, apesar de o senador socialista ter recebido mais votos.

Na quarta-feira, Buttigieg havia conseguido uma diferença de pouco mais de um ponto percentual, com 86% dos votos apurados.

Um dia antes, o político de 38 anos, há alguns meses praticamente um nome desconhecido na política americana, se proclamou vitorioso, em número de delegados, inclusive antes da divulgação dos resultados parciais.

"O que aconteceu com o Partido Democrata de Iowa é um escândalo", denunciou Sanders, ao se proclamar o vencedor, durante uma coletiva de imprensa em Manchester, em Nova Hampshire.

E acrescentou que "os 'caucuses' de Iowa são complicados demais", já de olho nas primárias de New Hampshire, na próxima terça-feira, que serão realizadas por votação secreta. 

Deste estado, com a intenção de se voltar para o futuro, Buttigieg afirmou: "Foi uma semana incrível, estamos absolutamente estuasiasmados com a energia que nos acompanha aqui e com a validação extraordinária de nossa visão da campanha que ocorreu em Iowa nesta segunda", disse em um comício em Merrimack. 

Aconteça o que acontecer, os rivais terão 11 delegados cada um, dos 41 de Iowa, estimou Sanders.

Falha de informática

Os 'caucuses', assembleias de eleitores filiados a um partido, nesse estado rural, primeira escala da indicação presidencial democrata, se desenrolaram de forma caótica devido a problemas de informática que adiaram a divulgação dos resultados.

Segundo vários especialistas, o que provocou o desastre foi um erro de código em um aplicativo móvel que não foi suficientemente testado antes de seu uso.

Devido a esse problema técnico, o partido de Iowa decidiu verificar manualmente os resultados, e vem fazendo isso lentamente desde a terça-feira. No entanto, surgiram erros e incoerências nos resultados publicados on-line.

O fiasco de Iowa provocou nesta quinta-feira um pedido de revisão dos resultados por parte do presidente do Partido Democrata, Tom Perez.

"Já é suficiente. Para garantir a confiança das pessoas nos resultados, peço ao Partido Democrata de Iowa para começar imediatamente uma revisão", disse Perez, que não explicou, entretanto, que nível de verificação poderá pedir dos resultados.

Sanders, o senador de 78 anos que se postula como um "socialista democrático", se orgulha de não aceitar grandes quantias de doadores abastados. Segundo sua equipe, em janeiro, ele recebeu dinheiro de 219 mil novos apoiadores, "americanos de classes populares que doaram 18 dólares" em média.

Para Biden, um "soco no estômago"

Elizabeth Warren, a senadora progressista de Massachusetts e outra das principais candidatas, ocupa o terceiro lugar em Iowa, com cerca de 18,2%.

O resultado esfriou seu apoio econômico e obrigou-a a retirar 500 mil dólares em anúncios de televisão que seriam veiculados nos estados de Nevada e Carolina do Sul, dois distritos cruciais na votação da "Super Terça", no dia 3 de março.

"Quero ser sempre muito cuidadosa na forma como gastamos nosso dinheiro", explicou Warren nesta quarta-feira.

Joe Biden, que nas pesquisas nacionais, se mantém na liderança da disputa pela indicação, obteve uma votação decepcionante e aparece em quarto lugar, com cerca de 15,8% dos delegados.

"Eu esperava um resultado melhor", reconheceu na quarta-feira à noite o ex-vice-presidente de Barack Obama durante um debate organizado pela CNN com eleitores de New Hampshire.

"Não vou adoçar as coisas, recebi um soco no estômago em Iowa", acrescentou, em um discurso em que endureceu os termos como se referiu aos novos favoritos.

Para Biden, a categoria de "socialista" não permitirá que Sanders possa vencer Trump nas próximas eleições de novembro. Ele ainda reprovou Buttigieg por criticar a presidência de Obama.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo