Para conter variante indiana, Maranhão receberá 300 mil doses extras de vacina contra a Covid-19

Medida foi anunciada pelo Ministério da Saúde para conter variante indiana do coronavírus

Ministro da Saúde segurando testes de coronavírus com outras autoridades
Legenda: Testes distribuídos são capazes de identificar nova cepa do vírus
Foto: divulgação/SES/Márcio Sampaio

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou, no domingo (23), que o Maranhão deve receber cerca de 300 mil novas vacinas contra Covid-19 para conter a variante indiana do coronavírus. A medida foi divulgada pelo titular da Pasta durante visita a São Luís para entrega de 600 mil testes rápidos de Covid-19, no domingo. As informações são do portal G1.

Ao chegar à capital maranhense, o ministro foi recepcionados pelo secretário estadual de Saúde e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula, pelo prefeito de São Luís, Eduardo Braide, e por Joel Nunes, secretário municipal da Saúde. A recepção ocorreu no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado.

Conforme Queiroga, o pedido pelas vacinas foi feito por Eduardo Braide e Joel Nunes em razão da confirmação dos casos da variante na região. As doses extras, que equivalem a 5% a mais que o previsto inicialmente pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), devem ampliar a cobertura vacinal na Grande Ilha de São Luís.

"Como o prefeito falou, hoje e ontem com o secretário Joel, ele fez um pleito muito justo de ampliar a cobertura de vacinas na Grande Ilha e foi acatado pelo Programa Nacional de Imunização", destacou o ministro, pontuando que ele e os outros gestores estão atentos para que a nova cepa não tenha transmissão comunitária.

Testagem da doença será implantada em pontos estratégicos do Maranhão
Legenda: Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a nova cepa segue sem transmissão comunitária
Foto: NIAID

Testagem da Covid-19

Ainda segundo Queiroga, a testagem da doença será implantada em pontos estratégicos do estado maranhense. No entanto, nem os locais exatos, nem as datas para início da testagem foram divulgados. A expectativa é de que ocorra em aeroportos e portos do Maranhão, nos quais deverão haver barreiras sanitárias, de acordo com o próprio ministro.

A Pasta federal tem previsão de distribuir 2,4 milhões de testes capazes de identificar a variante para todo o território brasileiro. Para tal, uma análise genética de material de pessoas infectadas será necessária.

Outros detalhes da visita

Segundo Carlos Lula, o ministro Marcelo Queiroga fez um sobrevoo até o navio MV Shandong da Zhi após a entrega dos testes. A embarcação abriga os tripulantes diagnosticados com a cepa indiana.

Print dos Stories de Carlos Lula, com o navio com tripulantes que tiveram contato com paciente infectado
Legenda: Informação foi divulgada pelas redes sociais de Carlos Lula
Foto: reprodução/Instagram

O titular do Ministério da Saúde, ainda durante a visita a São Luís, reuniu-se com o governador do estado, Flávio Dino (PC do B), no porto do Itaqui. Ambos conversaram sobre os protocolos sanitários instituídos para conter a variante indiana em solo maranhense.

Indiano segue internado

O paciente indiano infectado com a nova cepa, de 54 anos, permance internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de hospital particular de São Luís. O estado de saúde dele se mantém grave, de acordo com boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgado no sábado (22).

No sábado, o indiano precisou ser intubado após manifestar piora em seu quadro clínico. Ele está hospitalizado desde o dia 14 de maio, data em que o navio chegou ao Maranhão vindo da Malásia. A SES divulgou ter recebido 102 amostras de pessoas que tiveram contato direto e indireto com os tripulantes da embarcação. O órgão estadual reiterou que a variante indiana não tem transmissão local confirmada.

As amostras serão processadas pelo Laboratório Central do Maranhão (Lacen-MA) antes de serem enviadas ao o Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém, onde passarão por sequenciamento genômico.