Jeep Compass é o carro mais vendido do Ceará em agosto; preço parte de R$ 135 mil

Com veículos mais baratos em falta, modelo SUV assumiu a liderança das vendas em agosto, conforme dados da Fenabrave

Jeep Compass
Legenda: Jeep Compass tem versões que passam de R$ 200 mil
Foto: Divulgação

Com os impactos nas produções automobilísticas no Brasil por conta da pandemia, o Jeep Compass se tornou o carro mais vendido em agosto no Ceará, com 251 unidades emplacadas. O modelo superou veículos que sempre figuravam nos primeiros lugares como o Chevrolet Onix e o Hyundai HB20.

O modelo alcançou o tipo do ranking mesmo sendo um SUV, categoria de veículos mais sofisticados e, portanto, mais caros. A faixa de valor do carro da Jeep varia de R$ 135,23 mil para o Compass Sport T270 2021/2022 a R$ 212,87 mil para o Compass Limeted TD350 4x4, conforme o site da marca.

Os dados fazem parte de levantamento da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Em segundo e terceiro lugares, aparecem o Fiat Mobi e o Nissan Kwid, respectivamente. 

Veja os 10 carros mais vendidos: 

1. Compass: 251 unidades
2. Mobi: 227
3. Kwid: 191
4. Creta: 189
5. Argo: 177
6. HB20: 174
7. Renegade: 118
8. Corolla: 117
9. Corolla Cross: 113
10. Gol: 99

O vice-presidente da Fenabrave-CE, Lewton Monteiro Júnior, explica que este resultado não se dá exatamente por uma maior procura pelo Compass.

"Não é que tenha sido melhor que o desempenho de carros populares, o que acontece é que estamos com uma falta desses veículos de entrada nas concessionárias". 
Lewton Monteiro
vice-presidente da Fenabrave-CE

De acordo com Monteiro, a produção desses carros está muito comprometida, o que afeta a disponibilidade. "As concessionárias estão com dificuldades de abastecer seus estoques, a demanda hoje está limitada pela oferta".

Onix em falta

ONIX
Legenda: Queridinhos dos brasileiros, Onix está em falta no mercado
Foto: Divulgação

Apesar de não estar na lista dos 10 mais vendidos, o Onix é o automóvel mais vendido no estado considerando o resultado acumulado. Entre janeiro e agosto, foram emplacadas 1979 unidades.

O resultado de agosto é motivado pela suspensão da fabricação desde abril deste ano, causando falta do modelo nas principais concessionárias de Fortaleza e até lista de espera de interessados. 

A produção do carro foi prejudicada por questões na cadeia de suprimentos da indústria automotiva. O problema é mundial, decorrente da pandemia. 

No dia 16 de agosto, entretanto, a fábrica da General Motors foi reaberta em Gravataí (RS). Foram cinco meses paralisados. Com isso, a demanda deve ser normalizada. 

Resultados de agosto

Os dados da Fenabrave apontam ainda que houve uma pequena queda no número de unidades novas emplacadas no mês de agosto em relação a julho, de 3,1%, considerando os segmentos de auto e comercial leve. 

No oitavo mês do ano, foram 2.321 vendas, enquanto em julho, foram 2.396. O acumulado do ano já registra mais de 18 mil unidades emplacadas, ou seja, 21,5% a mais que no mesmo período do ano passado. 

Já considerando a venda de motos, agosto registrou 165 unidades a mais ante julho. De janeiro a agosto, foram vendidas 10,3 mil motocicletas. 

Perspectivas para o fim do ano 

Diante deste cenário, o desafio agora das distribuidoras é manter o preços, tendo em vista que, com menos produtos, os custos tendem a aumentar. "Com menos oferta, a tendência é de aumento, mas agora o grande desafio, tanto da indústria quanto do comércio, é manter os preços ou suavizar os aumentos", diz Monteiro.

Apesar do resultado até agora ter sido superior ao de 2020, a perspectiva para os últimos meses deste ano é de que haja uma queda, conforme o vice-presidente da Fenabrave-CE. 

"Com a reabertura em 2020 vivenciamos bons números, mas este semestre estamos enfrentando efeito provocado pela pandemia que impactou o ciclo produtivo com a falta de produto", finaliza.  


Assuntos Relacionados