Saiba quem é o matador em série preso em Fortaleza

O homem foi preso nesta terça-feira e é apontado como autor de 10 homicídios, dentre eles o de uma criança

Escrito por Emanoela Campelo de Melo, emanoela.campelo@svm.com.br

Segurança
prisao homicida
Legenda: Conforme investigações, Farlley cometeu diversos homicídios nas regiões do Tancredo Neves, Jardim das Oliveiras e Aerolândia.
Foto: Divulgação/PC

Um homem suspeito de participar diretamente de, pelo menos, 10 homicídios, foi preso. Farlley José da Silva Magalhães, 26, tem extensa ficha criminal, incluindo passagens por tráfico de drogas, roubo, roubo de veículos, crime de trânsito e porte ilegal de arma de fogo.

Ele foi localizado durante abordagem da Polícia Rodoviária Federal (PRF), enquanto trafegava pela BR-116, no bairro Jardim das Oliveiras. Conforme as investigações, Farlley cometeu diversos homicídios nas regiões do Tancredo Neves, Jardim das Oliveiras e Aerolândia. 

Uma das vítimas foi uma criança de 10 anos. Este crime ocorreu em 2021. De acordo com denúncia do Ministério Público do Ceará (MPCE), Farlley e um amigo efetuaram disparos de arma de fogo contra Carlos Henrique Matos Lima da Silva.

Carlos Henrique ia de encontro a companheira dele, que estava em uma calçada. Ao se aproximar do local, dois homens armados chegaram em um veículo, desceram do carro e atiraram. Os disparos também atingiram uma criança que estava na calçada.

O menino foi levado ao Hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), mas não sobreviveu aos ferimentos.

Outra morte recente atribuída a Farlley foi a de Renato César de Lima. A vítima foi assassinada no ano passado, no bairro Tancredo Neves por, supostamente, integrar uma facção rival a do suspeito.

INVESTIGAÇÃO

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) destaca que Farlley José da Silva Magalhães era procurado há mais de um ano. A Pasta acredita que a prisão levará maior celeridade às investigações conduzidas pelo 13º Distrito Policial (DP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE).

"Os crimes foram registrados nos anos de 2014, 2015, 2016, 2017 e, a maior parte deles, em 2021. As mortes estariam relacionadas às disputas entre grupos criminosos rivais e o tráfico de drogas. As investigações em torno do suspeito seguem a fim de identificar outros crimes praticados por ele", conforme a Secretaria.

A população pode contribuir com as investigações, repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais: "As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia".