Mulher é presa em Fortaleza por golpe contra beneficiários do Auxílio Emergencial de todo o Brasil

A investigação policial estipula que a organização criminosa faturava pelo menos R$ 1 milhão por mês

Os beneficiários do Auxílio recebiam telefonemas ou mensagens de supostos operadores do benefício, que pediam dados pessoais
Legenda: Os beneficiários do Auxílio recebiam telefonemas ou mensagens de supostos operadores do benefício, que pediam dados pessoais
Foto: Divulgação/ Governo Federal

Uma funcionária de uma lotérica foi presa pela Polícia Civil do Ceará (PCCE) em Fortaleza, na última quarta-feira (7), por integrar uma organização criminosa que cometeu um golpe contra beneficiários do Auxílio Emergencial de todo o Brasil. A investigação estipula que os golpistas faturavam pelo menos R$ 1 milhão por mês.

A organização criminosa teria feito cerca de 210 vítimas em apenas três dias. O titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), delegado Andrade Júnior, explicou à reportagem que os beneficiários do Auxílio recebiam telefonemas ou mensagens de supostos operadores do benefício, que pediam dados pessoais como o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e a senha, para atualizar o cadastro.

Entretanto, os dados eram repassados para a operadora de caixa de uma lotérica localizada em Fortaleza. A mulher alterava as senhas e as enviava para os comparsas acessarem a conta e transferirem os valores para outras contas bancárias. Ela conseguia alterar uma senha a cada dois minutos.

A Caixa Econômica Federal percebeu uma grande quantidade de alterações de senhas oriunda de apenas um terminal de lotérica e acionou a Polícia. A suspeita, que não teve a identificação revelada, foi presa na noite da última quarta-feira (7). A DDF segue em investigação para descobrir os outros integrantes do grupo criminoso.

Ela alegou que recebeu contato de uma pessoa, a qual ela não declinou o nome, para fazer um serviço que seria beneficiada com R$ 100 por dia. Da seguinte forma: ela receberia uma relação com o CPF e senha de pessoas que têm o benefício do Auxílio Emergencial e, como ela tem acesso ao sistema da Caixa Econômica Federal, ela refazia a senha e devolvia para o estelionatário, todos os dias.
Andrade Júnior
Delegado da Polícia Civil

A mulher foi autuada pelo crime de estelionato, com a qualificadora de fraudar sistema de serviço público, como se fosse servidora pública, já que a agência lotérica é uma concessão de serviço público, segundo o delegado.

Vítimas descobrem golpe na hora do saque

O titular da DDF afirma que as vítimas descobrem que caíram no golpe apenas quando vão receber o Auxílio Emergencial. "Essa pessoa, que só vai receber o dinheiro quando chegar a data limite dela, ao chegar à Caixa Econômica fatalmente o dinheiro já terá sido transferido para outra conta, e ela vai entender que naquele momento caiu em um golpe. E vai ter todo o trabalho de comprovar que ela não fez aquela alteração de senha", completa Andrade Júnior.

Um homem que foi à Delegacia de Defraudações e Falsificações, nesta quinta-feira (8), e pediu para não ser identificado, é uma das vítimas do golpe. Ele recebe o Auxílio desde o início do Programa, no ano passado. Mas a última parcela não estava na conta. 

Vou ter que ir no banco ajeitar esse negócio, porque senão vou ficar no prejuízo. Dependo muito, porque estou desempregado. Só tenho o auxílio. Não tenho outra renda.
Vítima do golpe
Identidade preservada

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança