MPCE denuncia PMs pela morte de um jovem e agressão de outros dois no Carnaval de 2019

Caso aconteceu na cidade de Fortim, no Litoral Leste

rua vazia em fortim no carnaval 2019
Legenda: Após a ocorrência, o Carnaval 2019 de Fortim foi cancelado. Ruas da cidade litorânea ficaram vazias
Foto: Almir Gadelha

O Ministério Público do Ceará (MPCE) denunciou cinco policiais militares pela abordagem que levou à agressão de três jovens e à morte de um deles, Victor da Silva Barbosa, de 19 anos, durante o Carnaval de 2019, em Fortim, no Litoral Leste do Ceará. 

Foram denunciados o subtenente Paulo César Gomes Sousa e os soldados Deraldo Marques de Farias Neto, Lucas Iuri Saraiva e Correa, Rogério da Silva Santos e Francisco Sérgio Patriolino Félix Neto. 

A denúncia pelos crimes de lesão leve e coautoria com circunstâncias agravantes foi oferecida pelo promotor de Justiça Militar Sebastião Brasilino de Freitas Filho, na última sexta-feira (11). Na denúncia, ele afirma que não "é possível atribuir aos denunciados a morte" de Victor porque, pela análise da perícia, o óbito do jovem "pode ter decorrido de inúmeras causas". A análise médica concluiu que Victor morreu devido ao rompimento de um aneurisma.

Denúncia do MPCE

Conforme a denúncia, um grupo de sete jovens participava de uma festa carnavalesca — chamada de mela-mela — quando começou uma discussão entre foliões. A situação teria sido normalizada logo em seguida, mas a Polícia chegou e conduziu parte do grupo de forma violenta. 

Uma das seis testemunhas relatou que “Victor foi o primeiro a apanhar, e bateram tanto que ele apagou”. Após uma hora de espancamento, os policiais teriam jogado água sobre o corpo para ele retornar. 

Ela informou ainda, segundo o MPCE, que os policiais perguntavam por drogas e armas. “Victor sofreu agressões consistentes em chutes, murros, e sofreu agressões com cassetete na cabeça [...] que, depois que perceberam que Victor estava morto, os policiais limparam o local e depois chamaram a ambulância”, aponta o documento. 

Os policias teriam, ainda, ameaçado as vítimas para não relatarem o ocorrido. 

Versão dos PMs

Ainda conforme a denúncia, os PMs envolvidos na ocorrência afirmaram que o grupo foi abordado porque havia entre eles "um suspeito de tráfico (...) e este grupo já chamara atenção desde o primeiro dia, devido ao uso de maconha, ocasião em que houve 'uma pequena resistência'". 

Segundo a versão dos denunciados, as vítimas foram conduzidas para um posto policial. No trajeto, Victor estaria apresentando sinais de desfalecimento, cambaleando como se fosse desmaiar e, por conta disso, ao chegarem ao destacamento ligaram para a ambulância, vindo a saber posteriormente que ele havia morrido. 

Respostas

Procurados na noite desta segunda-feira (14), os soldados Derlado, Rogério e Lucas não quiseram se pronunciar sobre a denúncia. O Diário do Nordeste não conseguiu contato com os outros dois denunciados até a publicação desta matéria. 

A Polícia Militar do Ceará também foi procurada. Assim que for enviado, o posicionamento da instituição será inserido nesta matéria.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança