Falsificador de moeda preso em praia do Ceará revendia cédulas falsas pela internet

A prisão aconteceu na Praia da Caponga, litoral do Estado. O homem de identidade não revelada era foragido da Justiça de Minas Gerais

Escrito por Emanoela Campelo de Melo, seguranca@svm.com.br

Segurança
moeda falsa laboratorio policia federal
Legenda: A Polícia Federal não divulgou o valor apreendido em moedas falsas ao fechar o laboratório
Foto: Divulgação/PF

O homem preso em flagrante na madrugada desta quarta-feira (24), quando a Polícia Federal fechou um laboratório onde eram falsificadas moedas e clonados cartões, vinha revendendo cédulas falsas pela internet. De acordo com o delegado da PF Geraldo Mendes, estima-se que somente esta organização criminosa colocou em circulação mais de R$ 10 milhões em moedas falsas no Brasil.

A prisão aconteceu na Praia da Caponga, em Cascavel, litoral do Estado do Ceará. Conforme investigação, o suspeito, de identidade não revelada, chefiava a organização criminosa e já tinha cometido o mesmo crime em outras localidades do País. Não foi informado o valor apreendido no laboratório clandestino.

"Fabricava moedas falsas e distribuía para vários locais do País, até mesmo as de R$ 200. São cédulas de boa qualidade e que impactam bastante na manutenção da ordem econômica do País. Esse indivíduo estava sendo investigado por atuar em Minas Gerais. A investigação identificou ele por ser responsável por uma grande organização criminosa. Em novembro do ano passado foi expedido o mandado de prisão e hoje aconteceu o desmantelamento do laboratório destinado à falsificação das cédulas de real. Foi uma ação em conjunto", disse o delegado.

Confira o vídeo:

Buscas

A Polícia divulgou que em outubro de 2020, em Ituiutaba, Minas Gerais, foi deflagrada a Operação Triângulo das Bermudas, e um laboratório de falsificação encerrado. Desde então, esse suspeito se evadiu do local e veio ao Ceará, onde aprimorou a técnica.

Além das cédulas, ele também chegou a produzir cartões clonados, 'Cartão do Cidadão' e falsificou comprovantes de residência e de identificação pessoal, utilizados para invadir contas bancárias de terceiros. Nesta quarta-feira (24), a Polícia Federal contou com o apoio da Polícia Militar do Estado do Ceará e da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais. O preso está à disposição da Justiça.

Em pouco mais de dois anos, a PF disse ter apreendido R$ 9,38 milhões em cédulas falsas no Brasil. Só no Ceará, em 2020, foi recolhido um total de R$ 370 mil em cédulas falsas. As apreensões no Estado acontecem, principalmente, por meio de flagrantes de destinatários de encomendas recebidas pelos Correios.

Assuntos Relacionados