Após bate-boca na CCJ, Guedes vai à comissão especial da Previdência

Dessa vez, o ministro vai participar de sessão na Câmara dos Deputados que discute o mérito da Nova Previdência

Legenda: "É perfeitamente possível promover ajuste fiscal estimulando crescimento econômico, empurrando crescimento privado, crédito privado", afirmou Guedes
Foto: Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, irá à comissão especial que debate na Câmara a reforma da Previdência. A audiência pública será nesta quarta-feira (8), segundo acordo de líderes partidários com o presidente do colegiado, Marcelo Ramos (PR-AM). 

O encontro com Guedes e o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, será o primeiro de uma série de audiências públicas. A ida de Guedes à Câmara será a primeira vez que o ministro irá à Casa depois de ser chamado de "tchutchuca" por Zeca Dirceu (PT-PR) durante reunião na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). O bate-boca implodiu a sessão e o ministro deixou o colegiado antes do final. 

O relator da proposta de mudança das regras de aposentadoria, Samuel Moreira (PSDB-SP) propôs que sejam realizados entre 9 e 11 debates, mas centrão e oposição querem estender o prazo para 15 sessões não deliberativas. Além disso, serão realizadas audiências públicas nos estados para debater a proposta de emenda constitucional. 

Assim, líderes dizem que é difícil que o texto seja votado neste semestre. Paulinho da Força (SD-SP) afirmou depois de deixar a reunião que o prazo estabelecido pelo governo é apertado. "Tem 49 membros titulares, as sessões são longas", disse. "E além disso tem um outro fator, que é o São João em junho", disse. Durante o período de festas, deputados do Nordeste costumam ficar em suas bases, esvaziando a Câmara. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política