O Fast Fashion, Moda Sustentável e Upcycling: O Futuro do Vestuário é AGORA!

Escrito por Thaty Rabello ,
Thaty Rabello é empresária e diretora criativa da TR Brand
Legenda: Thaty Rabello é empresária e diretora criativa da TR Brand

A indústria da moda, conhecida por sua capacidade de inovação, enfrenta desafios ambientais e climáticos. Nos últimos anos, a moda sustentável e o upcycling têm ganhado destaque, impulsionados pelo aumento da conscientização, refletindo a importância da sustentabilidade para 82% dos brasileiros (Opinion Box, 2021).

Enquanto a moda sustentável busca reduzir impactos ambientais e sociais, o fast fashion está associado a práticas opostas. Marcas de fast fashion produzem em massa a preços acessíveis, incentivando o consumo excessivo e descarte rápido. Isso resulta em condições precárias de trabalho e contribui para 10% das emissões anuais de CO₂, segundo o Stand.earth.

A moda sustentável responde aos impactos negativos, propondo governança, ESG e transparência nas práticas das marcas. A ênfase na qualidade e valor agregado incentiva os consumidores a fazerem escolhas sustentáveis, reduzindo resíduos e contribuindo para o meio ambiente.

O upcycling, prática criativa e inovadora, transforma roupas antigas e resíduos em peças modernas e únicas. Estudos indicam que roupas baratas são mais descartadas, evidenciando a importância do upcycling. Ao dar nova vida a peças usadas, essa prática reduz desperdícios, promovendo a individualidade e originalidade, pois cada peça é única.

Designers e artesãos abraçam o upcycling, reimaginando peças vintage e preservando a história e valor emocional associados. Essa abordagem não apenas reduz a demanda por matérias-primas virgens, mas também promove a sustentabilidade e a preservação de tradições na indústria da moda.

Comprar menos é um grande passo a ser considerado. Por que não dar uma nova vida àqueles jeans velhos, reformando ou criando novas peças? Através do upcycling, por exemplo? Para garantir um futuro mais brilhante para a indústria da moda, é fundamental que as marcas, os consumidores e os governos colaborem para promover práticas mais sustentáveis e éticas. A moda sustentável deve ser incentivada e apoiada, o fast fashion deve ser reformulado para minimizar seus impactos negativos e o upcycling deve ser promovido como uma forma criativa e inovadora de criar moda.

Em última análise, o fast fashion, a moda sustentável e o upcycling, representam diferentes facetas de uma indústria que está em constante evolução. O futuro do vestuário depende de nossa capacidade de abraçar a mudança e adotar práticas mais conscientes e éticas. A moda é uma forma poderosa de expressão, mas também deve ser uma força positiva para o planeta e para as pessoas. O Futuro do Vestuário é AGORA!

Thaty Rabello é empresária e diretora criativa da TR Brand

Renata Fernandes é diretora da Associação Fortaleza Azul (FAZ) e mãe de autista
Renata Fernandes
02 de Março de 2024
Flaviana Lopes dos Santos é analista de ativos e configuração da Golden Cloud
Flaviana Lopes dos Santos
02 de Março de 2024
Jornalista e senador constituinte
Mauro Benevides
29 de Fevereiro de 2024
José Luiz Medrado é gestor comercial da MRV no Ceará
José Luiz Medrado
29 de Fevereiro de 2024
Robinson de Castro é presidente do Grupo Controller
Robinson de Castro
28 de Fevereiro de 2024
Alessandra Augusto é psicóloga
Alessandra Augusto
27 de Fevereiro de 2024
Jornalista. Analista Judiciário (TRT7) e Mestrando em Direito (Uni7)
Valdélio Muniz
26 de Fevereiro de 2024
Marcos Venício é gerente de marketing do Centro Fashion
Marcos Venício
25 de Fevereiro de 2024
Val Freitas é sócia da Repense Financeira
Val Freitas
24 de Fevereiro de 2024