Guerras esquecidas

Escrito por Gilson Barbosa ,
Jornalista
Legenda: Jornalista

A mídia internacional parece “esquecer” a realidade que se nos apresenta mundo afora, com relação a conflitos graves que se desenrolam, lamentavelmente, em diversos pontos da Terra. Há pouco, o confronto que se desenrola ainda entre Rússia e Ucrânia era assunto diário nos noticiários, superado agora pela guerra “da vez”, entre Israel e o grupo islâmico Hamas, na conflagrada Faixa de Gaza. Todos os dias acompanhamos o desenrolar dos combates, no qual a desproporção de forças entre israelenses e palestinos é flagrante, bem como a intensificação dos bombardeios inclusive contra alvos civis, como hospitais, infelizmente.

Porém, muito além dessas duas situações, outros combates ocorrem noutros pontos do planeta, causando destruição, mortes, ódios e ressentimentos entre muitos povos. Tome-se inicialmente como exemplo a Síria, onde uma guerra civil foi iniciada em 2011 e que continua a ser palco de batalhas duríssimas entre os lados que desejam governar aquela nação. Apesar de todo o drama causado pelos embates ali acontecidos, com o êxodo de milhares de refugiados em busca da sobrevivência, submetendo-se a atravessar o Mar Mediterrâneo à procura de socorro nos países do continente europeu, o conflito simplesmente sumiu dos noticiosos e da mídia mundial, em geral. Esta, aparentemente, demonstra selecionar qual é o conflito que será alvo das frequentes notícias. Em outros lugares do planeta, problemas de graves consequências, desconhecidos de muitas pessoas, ocorrem igualmente há anos.

Na África, o território da República do Mali, no lado ocidental do continente, é alvo de sangrentos conflitos entre forças do governo e guerrilheiros ligados ao grupo terrorista Estado Islâmico, que tentam alcançar o poder. A vizinha Mauritânia, para se precaver contra a ameaça dos terroristas, vem investindo elevados recursos para fortalecer seu aparato militar. Na República Democrática do Congo (o antigo Congo Belga, tornado independente de forma artificial, em 1960, sem uma análise aprofundada sobre as diferenças tribais existentes em seu território, situação comum a todo o processo de descolonização da África pelas antigas metrópoles europeias), outro drama se repete. Há mais de 20 anos uma missão militar das Nações Unidas, composta por “capacetes azuis” de 51 países e liderada atualmente pelo Brasil, tenta impor a ordem.

Ali, 120 grupos armados e sequiosos pelo poder atacam e destroem aldeias, massacram famílias, violam mulheres como forma de humilhação aos inimigos e são responsáveis por um enorme contingente de 800 mil crianças órfãs! São apenas alguns, entre tantos dramas ocultos vividos neste mundo difícil no qual vivemos. Uma lástima planetária!

Gilson Barbosa é jornalista

Alessandra Augusto é psicóloga
Alessandra Augusto
27 de Fevereiro de 2024
Jornalista. Analista Judiciário (TRT7) e Mestrando em Direito (Uni7)
Valdélio Muniz
26 de Fevereiro de 2024
Marcos Venício é gerente de marketing do Centro Fashion
Marcos Venício
25 de Fevereiro de 2024
Val Freitas é sócia da Repense Financeira
Val Freitas
24 de Fevereiro de 2024
Jornalista e senador constituinte
Mauro Benevides
22 de Fevereiro de 2024
Matheus Brito é sócio-diretor da Unijuris
Matheus Brito
22 de Fevereiro de 2024
Consultor pedagógico
Davi Marreiro
20 de Fevereiro de 2024