Energias renováveis avançando para um futuro sustentável

Escrito por Alan Otoni de Souza ,
Alan Otoni de Souza é strategy & business Development Manager da Corning na América Latina
Legenda: Alan Otoni de Souza é strategy & business Development Manager da Corning na América Latina

A busca por energias renováveis tem sido cada vez maior nos últimos anos, devido a necessidade de utilizar soluções sustentáveis para ajudar na preservação do meio ambiente e diminuir os danos causados pelas mudanças climáticas e aquecimento global. E, diante da importância desse assunto, o Brasil tem unido esforços e apostado em recursos para energia limpa. 

De acordo com o relatório Energy Transition Investment Trends 2024, feito pela BloombergNEF (BNEF), e divulgado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), o país atraiu um total de US$ 25 bilhões em investimentos em energias renováveis em 2023, ocupando assim o terceiro lugar em comparação com os outros países, ficando atrás apenas da China e Estados Unidos. Segundo o estudo, a estimativa é investir cerca de US$ 259 bilhões na cadeia de fornecimento de energia limpa até 2025, em números globais. 

Além dos números serem positivos, o Brasil tem dado um passo significativo com a criação do novo Projeto de Lei 752/24, que está sendo estudado pela Câmera dos Deputados, e tem como objetivo incentivar a energia renovável no país e estimular a produção descentralizada de energia elétrica, por meio do uso de fontes renováveis. Mas, caso ela seja aprovada pelas Comissão de Minas e Energia, de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania será um marco, pois o país estará à frente do processo de desenvolvimento sustentável e será o começo de uma nova era na matriz energética brasileira. 

Mas, por que é tão importante investir nessas soluções? Nesse caso, posso destacar três motivos. O primeiro é que as energias renováveis reduzem as emissões de gases de efeito estufa, trazendo ganhos significativos para o meio ambiente ao combater as mudanças climáticas. Segundo, elas diminuem a dependência excessiva de combustíveis fósseis importados diversificando a matriz energética e aumentando a segurança no fornecimento de energia. E, terceiro, é que o uso desse recurso tem impulsionado a criação de postos de empregos. 

Infelizmente ainda há muitos desafios, como o custo elevado para implantação em larga escala e a integração eficiente na rede elétrica. Devido a interrupção de fontes renováveis, o abastecimento de energia é de extrema importância pois assegura que o fornecimento de eletricidade será contínuo e confiável. 

Mesmo diante desses obstáculos, o uso da tecnologia tem sido determinante na transformação do setor energético, pois ele permite uma transição mais suave para fontes de energia limpa e renovável. Os avanços em inteligência artificial e análise de dados estão melhorando a previsão de demanda e a gestão de redes elétricas, enquanto o desenvolvimento de baterias de íon-lítio e outras tecnologias de armazenamento está tornando viável a integração em larga escala de energias renováveis intermitentes. Além disso, a Internet das Coisas (IoT) está possibilitando a criação de redes inteligentes que otimizam o uso de energia e reduzem as perdas na transmissão. Tudo isso traz uma perspectiva muito positiva para o futuro. 

Por fim, concluo que nos próximos cinco anos, espera-se que o mercado energético passe por uma transformação impulsionada por inovações como armazenamento de energia avançada envolvendo baterias mais eficientes e de menor custo, redes inteligentes por meio da digitalização e automação da rede elétrica, aumento do uso dos veículos elétricos e tecnologia blockchain para rastrear a origem da energia, além de garantir a transparência das transações e promover a democratização do mercado energético. Portanto, esses recursos serão fundamentais para um futuro muito mais sustentável. 

 Alan Otoni de Souza é strategy & business Development Manager da Corning na América Latina

Médico Sanitarista e Gestor em Saúde
Álvaro Madeira Neto
18 de Junho de 2024
Francisco Duarte é CEO da Legal Place Brasil
Francisco Duarte
16 de Junho de 2024
Médico especialista em reprodução humana
Marcelo Cavalcante
15 de Junho de 2024