Ceará 2050 e a logística do Atlântico

Escrito por Aírton Montenegro ,
Aírton Montenegro é arquiteto e urbanista, consultor da Plataforma Ceará 2050
Legenda: Aírton Montenegro é arquiteto e urbanista, consultor da Plataforma Ceará 2050

O Programa Logística do Atlântico integra o Ceará 2050 – o projeto estratégico de longo prazo para o Estado – e é composto por ações destinadas a potencializar o desenvolvimento da nossa infraestrutura logística, organizada sob um modelo de desenvolvimento sustentável, ditado por suas vocações mais relevantes.

Uma delas é ressaltar papel do Estado como nodo logístico de dimensão nacional, a partir da localização geográfica e de alguns HUBS que já configuram um potencial de atratividade econômica expressiva, de forma a consolidar essa macro plataforma logística no Nordeste. Os HUBS em questão são: Portuário do Pecém/Mucuripe; Aeroviário (aeroportos de Fortaleza Jericoacoara, Aracati e Juazeiro); Digital (processamento/armazenagem de dados); Sistemas Ferroviário e Rodoviário Estruturantes (Ferrovia Transnordestina/rodovias federais/estaduais e Arco Metropolitano).

Os projetos e ações foram estruturados em quatro grupos: “Estudo de Vocações”, “Infraestrutura”, “Qualificação dos Serviços” e “Parcerias – Novos Empreendimentos”. No contexto da Infraestrutura, busca-se promover estudos de viabilidade econômica para um terminal de cargas no Aeroporto do Cariri e a expansão da malha rodoviária federal/estadual para o escoamento da produção do Norte e Nordeste do Brasil.

Prevê também a conclusão da Ferrovia Transnordestina, a modernização de terminais ferroviários, a implantação de um Aeroporto-indústria na RMF, de um Porto-indústria no Pecém e de um Complexo de Recepção Turística na área portuária do Mucuripe, a construção de terminais intermodais, a conclusão de anéis viários, a duplicação de rodovias estratégicas (BR-222, BR-116, BR-304, BR-020, BR-226 e BR-230) e estudos para expansão da malha ferroviária, facilitando a logística e o comércio.

No que se refere à “Qualificação dos Serviços”, é proposta a ampliação do Porto do Pecém, especialmente em sistemas e equipamentos de transporte, armazenagem e carga/descarga, visando atender à segunda fase da Siderúrgica. Além disso, busca integração com o porto do Mucuripe, criando um corredor comercial estratégico entre o Brasil e o Oriente, por meio do Canal do Panamá. A simplificação dos processos aduaneiros e alfandegários é uma meta importante, assim como a criação de uma zona especial de livre comércio para estimular o turismo de compras.

Na categoria de “Parcerias para Novos Empreendimentos”, é proposta a implantação de um HUB de Energia Elétrica no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Além disso, se quer ampliar e consolidar novas rotas aéreas em parcerias nacionais e internacionais, explorando os parques aeroviários regionais.

Essas iniciativas buscam impulsionar a diversificação e o crescimento econômico do Ceará, consolidando-o como base física e tecnológica para ser um polo logístico de dimensão nacional.

Aírton Montenegro é arquiteto e urbanista, consultor da Plataforma Ceará 2050

Renata Fernandes é diretora da Associação Fortaleza Azul (FAZ) e mãe de autista
Renata Fernandes
02 de Março de 2024
Flaviana Lopes dos Santos é analista de ativos e configuração da Golden Cloud
Flaviana Lopes dos Santos
02 de Março de 2024
Jornalista e senador constituinte
Mauro Benevides
29 de Fevereiro de 2024
José Luiz Medrado é gestor comercial da MRV no Ceará
José Luiz Medrado
29 de Fevereiro de 2024
Robinson de Castro é presidente do Grupo Controller
Robinson de Castro
28 de Fevereiro de 2024
Alessandra Augusto é psicóloga
Alessandra Augusto
27 de Fevereiro de 2024
Jornalista. Analista Judiciário (TRT7) e Mestrando em Direito (Uni7)
Valdélio Muniz
26 de Fevereiro de 2024
Marcos Venício é gerente de marketing do Centro Fashion
Marcos Venício
25 de Fevereiro de 2024
Val Freitas é sócia da Repense Financeira
Val Freitas
24 de Fevereiro de 2024