Naufrágio de dois barcos no Djibuti deixa cinco mortos e 130 desaparecidos

Um sobrevivente assinalou que havia 130 pessoas a bordo de seu barco, mas não soube precisar a quantidade de pessoas a bordo da outra embarcação.

Ao menos cinco pessoas morreram e 130 estão desaparecidas depois que duas embarcações com migrantes naufragaram na costa de Djibuti, indicou a Organização Internacional para as Migrações (OIM) nesta terça-feira (29).

"Depois que moradores da região alertaram, uma equipe da Gendarmeria foi à tarde perto do local da catástrofe e encontrou dois sobreviventes, além dos corpos de três mulheres e dois homens", indicou esta agência da ONU em um comunicado.

Um sobrevivente assinalou que havia 130 pessoas a bordo de seu barco, mas não soube precisar a quantidade de pessoas a bordo da outra embarcação.

"A Guarda Costeira também foi alertada e lançou uma operação de busca. A operação continua com dois barcos", indica o comunicado.

O Djibuti, que faz fronteira com Somália e Etiópia, separada do Iêmen pelo estreito de Bab el Mandeb, se converteu nos últimos anos em um país de trânsito para os migrantes que buscam trabalho na Península Arábica.

Os refugiados que deixam o Iêmen também tentam cruzar o estreito no outro sentido.

No ano passado, ao menos 30 migrantes de Somália e Etiópia, que acreditam que se dirigiam ao Djibuti, se afogaram quando seu barco afundou na costa do Iêmen.

Em agosto de 2017, dezenas de migrantes de Somália e Etiópia que navegavam em duas embarcações para o Iêmen morreram jogados ao mar por traficantes de pessoas.

Você tem interesse em receber mais conteúdo internacional?

Assuntos Relacionados