Em meio à pandemia do coronavírus, foguete é disparado de Gaza para Israel, diz Exército hebreu

Sirenes soaram no sul da cidade de Sderot, informa o jornal israelense Haaretz

Legenda: Moradores da região atingida pelo míssil estão postando imagens nas redes sociais
Foto: Foto: redes sociais

Pela primeira vez desde o início da crise do novo coronavírus, um foguete foi disparado da Faixa de Gaza em direção ao território de Israel, informa o jornal israelense Haaretz. Segundo a publicação, a informação foi concedida pelo Exército hebreu. As sirenes soaram no sul da cidade de Sderot, detalha o Haaretz. 

>Disparos de mísseis pelo Hamas preocupam imigrantes em Israel

O "The Jerusalem Post" informa que comunidades nos arredores, como Nivim e Or Haner, também acionaram sirenes. Por enquanto, não há mais informações oficiais sobre danos. Nas redes sociais, relatos de moradores indicam que o projétil teria caído em um campo aberto. O disparo de foguetes de Gaza, território palestino, para Israel tem se tornado frequente, mas o sistema antimísseis consegue interceptá-los, sem provocar vítimas.  A Faixa de Gaza está sob bloqueio israelense há mais de uma década

Coronavírus

A notícia de disparo de foguetes ocorre em um momento crítico. A ONU tem alertado, após o registro dos dois primeiros casos de contágio na Faixa de Gaza, um enclave palestino quase isolado do mundo e superlotado, que a propagação da epidemia pode levar a uma catástrofe. Sob bloqueio israelense há mais de uma década, a Faixa de Gaza não havia registrado, até o último domingo (22), nenhum caso de Covid-19.

O ministério local da Saúde anunciou que dois palestinos, de 30 e 40 anos, que voltaram do Paquistão, estavam infectados. Foram isolados em um centro de quarentena localizado próximo à fronteira com o Egito, garantiu o ministério em comunicado.

Atualmente, tanto israelenses como palestinos enfrentam a pandemia do novo coronavírus. Os dois lados têm anunciado casos de contaminação.  A ONU tem alertado, após o registro dos dois primeiros casos de contágio na Faixa de Gaza, um enclave palestino quase isolado do mundo e superlotado, que a propagação da epidemia pode levar a uma catástrofe. 

O ministério local da Saúde anunciou que dois palestinos, de 30 e 40 anos, que voltaram do Paquistão, estavam infectados. Foram isolados em um centro de quarentena localizado próximo à fronteira com o Egito, garantiu o ministério em comunicado.