Dois novos surtos de Covid-19 em Roma preocupam governo italiano

Os dois novos focos da doença são um hospital e um prédio, onde houve registro de mais de 100 pessoas contaminadas e cinco mortes, indicaram as autoridades de saúde

Legenda: Na Itália, a pandemia de Covid-19 causou 34.301 mortes, de acordo com o último balanço oficial publicado na noite deste sábado (13)
Foto: AFP

Apesar de registrar significativa redução da contaminação por Covid-19, a Itália corre o risco de ver se formar uma segunda onda da doença. Nos últimos dias, dois novos surtos de coronavírus apareceram em Roma, um em um hospital e o outro em um prédio movimentado que foi colocado em quarentena, causando preocupação pelas autoridades de saúde, informaram fontes convergentes neste sábado (13). 

No total, esses dois novos surtos representaram mais de cem pessoas contaminadas e cinco mortes, indicaram as autoridades de saúde de Latium, uma região da capital italiana. 

Um primeiro foco está localizado no hospital San Raffaele Pisana, na periferia oeste de Roma, de acordo com Alessio d'Amato, diretor de Saúde para o Lácio. 

Foram contados 104 casos positivos e cinco óbitos, dois dos quais nas últimas 24 horas, duas mulheres, de 89 e 92 anos, disse d'Amato. 

Dois técnicos de televisão da Rai, que estavam em contato com pacientes positivos, estão entre os contaminados. 

Um segundo surto apareceu em um prédio ocupado ilegalmente em um bairro periférico no sul de Roma, em Garbatella, segundo as autoridades de saúde. 

Nove casos positivos foram identificados, incluindo uma família peruana. 

Todos os infectados foram transferidos para o hospital, e o prédio foi colocado em quarentena e cercado pela polícia. 

O prédio de oito andares é ocupado por cem pessoas, a maioria imigrantes, que estão proibidas de sair desde sexta-feira (12) e recebem comida da Cruz Vermelha. 

Na Itália, a pandemia de Covid-19 causou 34.301 mortes, de acordo com o último balanço oficial publicado na noite deste sábado.

Confinamento em Pequim

A China confirmou um novo surto da Covid-19 em Pequim, onde foi decretado confinamento em 11 bairros. Um mercado de carne e peixe foi fechado, após se detectar o vírus em tábuas de cortar salmão.

Restaurantes em Pequim pararam de oferecer salmão em seus cardápios. Visitas à capital chinesa de grupos de outras províncias foram suspensas.

Os novos casos suscitam temor de uma segunda onda pandêmica na China, após o aparecimento do vírus em  Wuhan em dezembro.