Rally dos Sertões chega ao último dia prometendo mais emoção

Mesmo com as colocações praticamente definidas, os competidores podem fazer algumas surpresas nos últimos 18km, que serão disputados no Porto das Dunas, local da largada de hoje, a partir das 11 horas

Legenda: Últimos dias foram de superação para parte dos competidores do Rally dos Sertões
Foto: Foto: Marcelo Machado de Melo

O Rally dos Sertões está quase no fim, faltam pouquíssimos quilômetros para o comboio cruzar a linha de chegada, hoje, no Porto das Dunas, em Aquiraz. Depois de sete etapas e, até aqui, 2.840 km de trechos cronometrados, é muito pouco provável que ocorram mudanças na pontuação geral. Mas é importante registrar que, até a bandeirada final, tudo pode acontecer. Quem está à frente e em vantagem, obviamente, tende a administrar sua posição e fazer o máximo para minimizar seus riscos.

A questão é que a especial de hoje é curtíssima: serão apenas 18km já do lado da rampa de chegada. Todos os competidores sairão de Crateús em deslocamento (serão 428km) para, ao chegar em Aquiraz, formarem o grid e largarem para a final.

Estaria então o resultado definido? Não. Porque, se em qualquer esporte vale a máxima de que tudo só termina no fim, no rali, isso é potencializado por ser uma competição que vai além da velocidade. Ao observar os competidores mais de perto, veremos casos como o do piloto Rami Sfredo, que sofreu um acidente na 1ª etapa e fraturou o pulso.

Os médicos que o atenderam informaram que seria impossível continuar na prova, pois a dor seria absurda. Ele não se intimidou, era a 3ª vez que tentava participar da competição e tinha problemas logo no começo, recusou-se a abandonar e avisou: "O meu pulso vai aguentar e eu vou chegar ao fim". Rami segue na prova, com dores, mas sem permitir que nada roube dele a alegria de realizar o sonho de fazer um Sertões.

Outra máxima é observar pilotos como Riamburgo Ximenes e Guilherme Spinelli. Riamburgo e seu navegador Flávio França, tiveram dias conturbados e ficaram horas à espera do resgate dentro do Jalapão. Chegaram no apoio já de madrugada, foram recebidos pelos seus mecânicos e, poucas horas depois, já alinhavam para a largada. Guilherme Spinelli e Youssef Haddad capotaram na 6ª etapa e também passaram pela mesma situação de espera, resgate, reconstrução do carro e relargada.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?

Assuntos Relacionados