Guto Ferreira tem aproveitamento de 43% em jogos da Sul-Americana; veja números

Comandante alvinegro disputou a competição continental por três equipes

Legenda: Guto Ferreira tem contrato com o Ceará até o fim da temporada de 2021
Foto: Thiago Gadelha / SVM

O duelo diante do Jorge Wilstermann, da Bolívia, na próxima quarta-feira (21), marca a estreia do Ceará na Copa Sul-Americana 2021. Será a segunda vez que a equipe alvinegra participará do torneio continental. Para esta temporada, a diretoria do Vovô investiu pesado no mercado visando todas as competições que irá disputar no ano (Estadual, Copa do Nordeste, Sul-Americana, Copa do Brasil e Série A) e anunciou 13 contratações.

Entre os reforços que chegaram, alguns consolidados no cenário sul-americano e com vasta experiência nas disputas continentais. Jael, campeão da Libertadores e da Recopa Sul-Americana pelo Grêmio, Yony González e "Speed" Mendoza, com participações por equipes brasileiras e colombianas, são alguns dos exemplos.

No entanto, não são apenas os atletas do Alvinegro de Porangabuçu que conhecem a “Sula”. O comandante do grupo, Guto Ferreira, já disputou o torneio por três equipes diferente, tendo chegado as quartas de final, em 2015, no comando da Chapecoense.

Legenda: Sob o comando da Chapecoense, Guto Ferreira chegou as quartas de final da Copa Sul-Americana em 2015
Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Guto Ferreira na Copa Sul-Americana:

  • 10 jogos
  • 3 vitórias
  • 4 empates
  • 3 derrotas
  • 43,33% de aproveitamento

Ao todo, o “Gordiola” disputou 10 partidas da Sul-Americana, todas no antigo formato de mata-mata. Sua primeira aparição no cenário internacional foi em 2013, sob o comando da Portuguesa-SP, mas acabou sendo eliminado para o Bahia na primeira fase, após uma derrota (2 a 1) e um empate (0 a 0).

Dois anos depois, Guto Ferreira voltou a disputar o torneio continental. Desta vez pela Chapecoense, onde chegou as quartas de final, após vencer Ponte Preta (4 a 1 no agregado) e Libertad-PAR (5 a 3 nos pênaltis), e foi eliminado pelo River Plate-ARG.

Sob o comando do Bahia, em 2018, o treinador de 55 anos retornou a Sula. Após perder para o Blooming, da Bolívia, por 1 a 0, o Tricolor da Boa Terra reverteu o placar e garantiu a classificação após um 4 a 0 na Arena Fonte Nova.

Projeção na Sul-Americana

Guto Ferreira soma 43,33% de aproveitamento em competições internacionais. Após a vitória sobre o Salgueiro, por 3 a 0, no último sábado (10), o comandante alvinegro falou sobre a chave do Ceará que conta com Jorge Wilstermann (BOL), Arsenal de Sarandí (ARG) e o eliminado da 3ª fase da Pré-Libertadores entre Bolívar (BOL) e Junior Barranquilla (COL).

"Estamos começando os primeiros estudos. O Arsenal é uma equipe que tem tradição na Sul-Americana, participa há muito tempo. Já tem uma experiência na competição. Tem o Jorge Wilstermann, que alterna Sul-Americana e Libertadores. Quanto experiência na competição, as três equipes que nós vamos enfrentar - Bolívar-BOL ou Junior Barranquilla-CO - são equipes que estão acostumadas. Mas não são equipes tradicionalíssimas, com exceção do Júnior Barranquilla e do Arsenal, que chegou em uma final", afirmou.

Para o comandante, preparar o grupo da melhor forma possível é fundamental para o Ceará conquistar a classificação à próxima fase da Sul-Americana.

"Vamos estudar as situações, procurar preparar da melhor forma possível para fazer a fase de grupos da melhor maneira possível. Sai um só. E eu acho que nós temos condições de classificar, sim. Temos que jogar um bom futebol, botar em prática o que fazemos na Copa do Nordeste. Vamos pegar outras escolas da América do Sul. Então vamos aguardar. Já participei da Sul-Americana. Então acho que temos condição de classificar, sim", completou.

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte