Governos estaduais se posicionam contra a realização da Copa América no Brasil; veja comunicados

Rio Grande do Norte, Pernambuco e Rio Grande do Sul são contrários a realização da Copa América 2021 em solo brasileiro, em virtude da alta no número de casos de Covid-19 no país

Brasão da Copa América
Legenda: Copa América 2021 deve realizada no Brasil após desistência de Argentina e Colômbia
Foto: Divulgação/Conmebol

O anúncio da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) de realizar a Copa América 2021 em solo brasileiro gerou posicionamento contrário e veto dos governos do Rio Grande do Norte, de Pernambuco e do Rio Grande do Sul, em virtude da alta no número de casos de Covid-19 no país. Em contrapartida, São Paulo, Bahia e Cuiabá se colocaram à disposição para sediar as partidas da competição continental.

Pernambuco e Rio Grande do Norte

A primeira recusa partiu do governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Em nota divulgada via assessoria de imprensa (leia abaixo), o gestor alegou nova aceleração dos casos e vetou o estado como sede da Copa América 2021. O discurso também foi adotado pela Governadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte, que garantiu não haver níveis de segurança epidemiológica para realização do evento.

Twitter Fátima Bezerra

Rio Grande do Sul

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, emitiu um comunicado após a transferência da Copa América para o Brasil citando "inoportuno e inconsequente" a realização do torneio continental no país e utilizando o estado gaúcho como sede para os duelos envolvendo as seleções participantes.

Confira o comunicado oficial do Governo do Rio Grande do Sul

"O governo do Rio Grande do Sul não foi procurado nem pela CBF e nem pela Conmebol para tratar da Copa América. Recebemos os jogos em 2019, o que muito nos orgulha, mas, pessoalmente, entendo que seria inoportuno realizar a competição no Estado e no Brasil neste momento. Precisamos concentrar esforços no enfrentamento à pandemia e, nesse contexto, é inadequado que a competição ocorra aqui, mesmo sem público nos estádios.

O mundo infelizmente tem visto uma disseminação de novas variantes do coronavírus, e ampliar a circulação, com possíveis aglomerações e elevado trânsito de pessoas poderia ampliar o contágio. Caso o Estado receba algum tipo de contato da Conmebol e da CBF, vamos levar o assunto para discussão com os outros Poderes e entidades que representam a sociedade gaúcha.

Anteriormente, fizemos a liberação do futebol no Estado por conta da relevância da atividade, que interfere na economia por meio dos clubes locais, das mais variadas divisões, que precisam cumprir o calendário esportivo.

Na minha opinião, essa necessidade não se aplica à Conmebol, e fazer a Copa América no Brasil e no Rio Grande do Sul agora seria acrescentar um problema ao país. Seria inoportuno e inconsequente."

Confira a nota oficial do Governo de Pernambuco

"O Governo de Pernambuco monitora, de forma permanente, por meio do Gabinete de Enfrentamento à Covid-19, os indicadores da doença no Estado. Nas últimas semanas, foi identificada uma nova aceleração dos casos, que motivou novas medidas restritivas no Agreste e na Região Metropolitana.

Apesar de ainda não ter sido procurado oficialmente pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Governo do Estado reforça que o atual cenário epidemiológico não permite a realização de evento do porte da Copa América no território de Pernambuco."

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte