Convocados para Seleção Olímpica, Arthur Cabral e Artur Victor podem render milhões ao Ceará

Os dois atletas, revelados nas categorias de base do Alvinegro, foram convocados pelo técnico André Jardine para amistosos da Seleção Olímpica

Legenda: Artur Victor (e) tem se destacado no Bahia, mas Arthur Cabral tem atuado pouco em 2019
Foto: Fotos: divulgação

A convocação da Seleção Olímpica do Brasil realizada nesta sexta-feira (16), visando os amistosos contra Colômbia e Chile, em setembro, contou de forma inédita com dois jogadores revelados nas categorias de base do Ceará. Os atacantes Arthur Cabral e Artur Victor, ambos pertencentes ao Palmeiras, podem ainda render milhões de reais ao Alvinegro.

Isso porque o Vovô ainda possui partes relevantes dos direitos econômicos de ambos. No caso de Arthur Cabral, que em 2018 foi vendido ao Palmeiras por R$ 5 milhões, o Ceará detém 50% dos direitos. Desta porcentagem, caso o centroavante seja novamente negociado, 30% do valor deverá ser repassado aos empresários do jogador. Com isso, o clube receberá 35% do valor de uma futura transferência.

Pouco utilizado por Felipão nesta temporada, já que atuou em apenas cinco jogos e marcou um gol, o paraibano de 21 anos foi sondado recentemente por Grêmio e Vasco.

Já Artur Victor, cearense que é igualmente vinculado ao Palmeiras, mas que está emprestado ao Bahia, também tem percentual pertencente ao Vovô.

O Diário do Nordeste apurou que o Ceará detém 30% dos direitos econômicos do atleta, além de um montante destinado a "Cláusula de Solidariedade", que é voltada ao período em que o jogador esteve nas divisões inferiores da equipe.

O interesse do Palmeiras no jogador ocorreu quando a equipe enfrentou o Ceará pelas oitavas da Copa Rio sub-17, em 2014. Na partida, vencida pelo Verdão de Gabriel Jesus, o cearense teve grande exibição e marcou um gol para o Alvinegro de Porangabuçu. Dias depois da partida, o time paulista solicitou a compra do atacante para reforçar a base paulista.

Recentemente, o jogador foi sondado pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. O clube europeu demonstrou interesse na compra do jogador em uma negociação especulada em cerca de 10 milhões de euros (R$ 45 milhões), mas que não se concretizou.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte