Conheça Kelvin Hoefler, o primeiro medalhista olímpico da história do Brasil no skate

O esportista conquistou medalha de bronze neste domingo (25) na Olimpíada de Tóquio. Hexacapeão mundial, ele é o principal nome do Brasil na modalidade

Atleta ajoelha-se para comemorar a vitória
Legenda: A medalha que inaugurou a participação do Brasil no quadro das Olimpíadas de Tóquio foi conquistada na estreia do skate nos Jogos, com Kelvin Hoefler
Foto: MARTIN BERNETTI / AFP

O skatista paulista Kelvin Hoefler, de 28 anos, fez história na Olimpíada de Tóquio. Além de conquistar a primeira medalha para o Brasil, ele figurou no primeiro pódio da História do skate em Jogos Olímpicos. 

Uma trajetória de superação que começou lá atrás. Kevin é natural de Itanhaém, mas cresceu no Guarujá. Hoje, mora na Califórnia. 

Desde cedo, ele queria se estabelecer nos Estados Unidos em busca da carreira profissional. A competição que mudou tudo ocorreu em 2014, na África do Sul, quando ele ganhou, na época, um prêmio inimaginável de US$ 100 mil.

A premiação viabilizou que ele fincasse raízes na Califórnia.

Infância e adolescência

A paixão pelo esporte chegou ainda na infância. Ela começou a andar de sakate aos 9 anos, quando ganhou o equipamento de presente do  pai, Eneas de Souza, policial, e da mãe, Roberta Hoefler, dona de casa. 

Os pais montaram uma rampa na garagem de casa para que ele pudesse treinar. Na época, eles moravam em Guarujá, em São Paulo. Não havia locais adequados para a prática na Cidade. 

Ele também apostou em outros esportes: futebol e surf. O brasiileiro surfava até a adolescência, mas as águas geladas o afastaram do mar e o fizeram se firmar nas pistas, ou nas ruas.

Trajetória

No currículo, Kevin tem os títulos de Hexacampeão mundial e bicampeão do X-Games. Ele tem um histórico de sucesso na modalidade (campeão da Street League em 2015) e conseguiu ampliá-lo no ambiente totalmente novo para o skate nas Olimpíadas. 

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte