Bate-Papo com os Craques: Jurandir Júnior fala sobre os bastidores do futebol; ouça entrevista

Dirigente cearense acumula na carreira acessos por Fortaleza, Ceará e Ferroviário em momentos de reconstrução dos três grandes clubes do Estado. Último foi a conquista da Série D pelo Ferrão, clube pelo qual torce

Dirigente de futebol, Jurandir Júnior acumula passagens pelos grandes do futebol cearense
Legenda: Dirigente de futebol, Jurandir Júnior acumula passagens pelos grandes do futebol cearense
Foto: Divulgação/Ferroviário

O futebol molda histórias e trajetórias ou, pelo menos, deveria ser assim. Há duas carreiras nas quais a separação da glória e do fracasso se expressam através do resultado: treinador e dirigente. Jurandir Júnior trabalha com futebol há mais de duas décadas e acumula na carreira os dois lados da história, com ênfase nas glórias que deixaram legado.

"A trajetória começou em 1997, um convite que recebi do Marcelo Vilar junto ao Leonel Alencar para trabalhar no Fortaleza, começando já em um clube grande. Mas eu tinha iniciado mesmo no Uniclinic (atual Atlético/CE), em 1995. O Vanor Cruz tinha acabado de fundar o clube, e iniciamos na 2ª divisão cearense. Fui chamado justamente porque era treinador do infanto juvenil e juvenil de futsal e auxiliar no adulto no próprio Uniclinic", lembrou Jurandir.

Ouça entrevista completa com Jurandir Júnior

Powered by RedCircle

Entre projetos e títulos ao longo da carreira, Jurandir acumula acessos importantes que foram divisores na história de três grandes clubes do Estado: pelo Fortaleza, em 2002; pelo Ceará, em 2009, e, recentemente, pelo Ferroviário, seu clube do coração, sendo campeão da Série D.

"Jangada Atômica"

A primeira grande conquista trabalhando no Fortaleza foi no início dos anos 2000. O clube vinha de sete anos sem conquistar estadual e, naquele momento, com time superior, o Ceará brigava pelo penta. Em Sobral, o Tricolor conseguiu o emocionante título cearense e arrancou a oportunidade de supremacia do maior rival.

"Uma coisa é você fazer futebol com dinheiro, outra coisa é fazer futebol tirando leite de pedra, como nós fizemos naquela época. Por culpa da direção não ganhamos o primeiro turno. O detalhe é que o time, na época, não queria viajar para Sobral, porque ia para o terceiro mês sem salário. Mas fomos e passamos uma semana e pouco em Sobral, fechamos a cidade para gente. Ceará só viajou no dia, então criamos um grande clima na cidade".

Jurandir ficou no clube de 1997 até 2004. Em 2001, conseguiu o bi estadual, mas não conseguiu o tri em 2002. Ainda alcançou o inédito acesso para Série A, com Clodoaldo sendo a principal referência da equipe.

Acesso do Ceará em 2009

Jurandir estava no clube quando evitou o tetra do Fortaleza em 2006. Estava na gestão de Eugênio Rabelo e fez a transição para o início de crescimento no Ceará, junto a Evandro Leitão. Em 2009, conseguiu o acesso pelo clube que vinha de insucesso no Estadual após o Fortaleza garantir o tri.

"Eu e o Evandro éramos muito ligados. No momento turbulento entre a saída do Zé Teodoro e chegada do PC Gusmão, entramos nas madrugadas. Ficou a dúvida entre Márcio Araújo, que hoje é auxiliar do Fernando Diniz, e PC Gusmão, que foi uma indicação do Geraldo. E desde o início, na conversa com treinadores e internamente entre a gente, tínhamos uma convicção: o elenco era pra subir".

Ferrão e título na Série D

O Ferroviário viveu, nos últimos anos, um processo de reconstrução, desde o retorno à 1ª divisão cearense até o feito de conquistar uma vaga na Série D, em 2018. Jurandir Júnior foi convidado para formar a diretoria que participaria do processo de volta do clube, time de coração do dirigente.

"Foi um presente que eu tive para minha carreira. Eu vejo o título brasileiro como o maior da história do clube. Presente que devo a muita gente. As pessoas acham que é fácil se manter na Terceirona, mas é algo muito difícil na rotina", conta Jurandir.

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte