Ao som de Baile de Favela, Rebeca Andrade leva o Brasil à final de ginástica olímpica em Tóquio

A ginasta brasileira se classificou para três finais individuais: no solo, salto e na individual geral, onde só teve pontuação menor que a de Simone Biles

Rebeca Andrade se apresentando
Legenda: Rebeca Andrade se apresentou no solo ao som do funk "Baile de Favela"
Foto: Agência Brasil

A ginasta Rebeca Andrade leva o Brasil à final da ginástica artística individual nas Olimpíadas de Tóquio. Ao som do funk "Baile de Favela", a brasileira se destacou na categoria de solo da competição. 

A atleta atingiu a segunda maior nota individual, com 57.399 pontos atrás de apenas da americana Simone Biles. 

Além da classificação no individual geral, Rebeca chega também à final do salto, tendo atingido a terceira melhor nota, 15.166. A ginasta também vai à final da categoria solo, com a quarta melhor nota, 14.066.

Além de Rebeca, o Brasil também terá outra ginasta disputando medalha na Giniástica.  Flavia Saraiva chegou à final da trave, apesar de ter se lesionado na apresentação de solo. Ela ficou na nona posição, com 13.966 pontos. 

Legenda: Ginasta brasileira Rebeca Andrade brilhou em suas apresentações em Tókio
Foto: Lionel BONAVENTURE / AFP

Lesões

Rebeca Andrade garantiu vaga em três finais da ginástica
Legenda: Rebeca garantiu vaga em três finais da ginástica
Foto: Júlio César Guimarães/COB

Com chances de trazer uma medalha olímpica para o Brasil na ginástica artística, Rebeca já pensou em desistir do esporte após três lesões.

A ginasta rompeu o ligamento cruzado do joelho direito em 2015, o que a deixou fora dos Jogos Pan-Americanos.

Em 2017, ela teve outra lesão no mesmo local. E, em 2019, às vésperas da Olímpiada (que ainda não havia sido adiada), ela teve que operar o joelho direito pela terceira vez.

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte