Polícia já ouviu nove pessoas em investigação sobre agressões de DJ Ivis contra Pamella Holanda

Os depoimentos foram colhidos durante os 12 dias de investigação

Delegacia Metropolitana do Eusébio é responsável por acompanhar caso de agressão de DJ Ivis contra Pamella Holanda
Legenda: Delegacia Metropolitana do Eusébio é responsável por acompanhar caso de agressão de DJ Ivis contra Pamella Holanda
Foto: Darley Melo/SVM

A Polícia Civil do Ceará ouviu, até esta quarta-feira (14), nove pessoas na investigação sobre a violência doméstica cometida pelo músico Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis, contra a ex-esposa, a influencer e estudante de Arquitetura e Urbanismo, Pamella Holanda

Os depoimentos foram colhidos desde o início da apuração do caso, quando foi realizado um Boletim de Ocorrência, em 2 de julho, na Delegacia Metropolitana do Eusébio (Grande Fortaleza). 

Nesta quarta-feira (14), a empregada doméstica da casa de DJ Ivis e Pamella Holanda prestou depoimento. Durante cerca de três horas, ela relatou o que sabia da rotina do casal. À Polícia, segundo apuração do Sistema Verdes Mares, ela disse que havia muitos conflitos e discussões motivadas por ciúmes, mas que nunca presenciou agressões físicas. 

Ela informou, também, que não estava no local no dia em que houve o espancamento divulgado em vídeos.

Ainda não há informação se outras pessoas serão ouvidas pela Polícia.

Depoimentos à Polícia 

Pamella Holanda depôs na segunda-feira (12). Neste dia, ela recebeu uma guia para repetir o exame de corpo de delito, a ser feito em 30 dias. O objetivo é identificar o grau das lesões provocadas pelas agressões.

Dentre os ouvidos até o momento, estão também a babá da filha do casal, a mãe de Pamella e o motorista do agressor — ambos aparecem nas imagens que mostram a vítima sendo espancada pelo DJ. 

MPCE ACOMPANHA O CASO

O Ministério Público Estadual (MPCE) acompanha o caso e se colocou à disposição de Pamella, por meio do Núcleo de Apoio às Vítimas de Violência, tanto para serviços de apoio como para orientações jurídicas.

Segundo a titular da 3ª Promotoria de Justiça de Eusébio, promotora Emilda Sousa, o órgão aguarda o inquérito policial para saber quais diligências já foram realizadas e se há outras a requerer. 

A promotora mencionou, também, já constar como objeto de apreciação por parte do MPCE pedido de medidas protetivas patrimoniais por parte da vítima, no aguardo de decisão pelo poder judiciário. 

Desde o último dia 4 de julho, Pamella já tem o amparo de medidas protetivas, solicitadas pela Polícia Civil e concedidas em caráter de urgência com base na Lei Maria da Penha.

Por meio da decisão, DJ Ivis deve manter uma distância mínima de 100 metros da ex-esposa e de seus familiares, além de ficar proibido de manter contato com eles. 

Quero receber conteúdos exclusivos do É Hit