Evo planeja criar milícias caso seu partido volte ao poder na Bolívia

Evo deixou o cargo em 10 de novembro, após semanas de protestos por conta de suspeitas de fraude nas eleições de 20 de outubro, na qual ele disputou o quarto mandato seguido