Pfizer antecipa para julho entrega de 7 milhões de doses de vacinas ao Brasil

Desta forma, o País receberá 15 milhões de doses do imunizante no próximo mês. A expectativa antes era de 8 milhões

Pfizer
Legenda: O Ministério da Saúde informou que, em junho, o laboratório deve entregar 12 milhões de doses à pasta. Os envios estão acontecem em três remessas semanais, com desembarque pelo Aeroporto de Viracopos (SP)
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (16) que conseguiu antecipar 7 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech para julho.

Desta forma, o Brasil receberá 15 milhões de doses do imunizante no próximo mês. A expectativa antes era de o País receber 8 milhões.

A antecipação foi anunciada dois dias após reunião do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com Marta Díez, presidente da Pfizer no Brasil, e Carlos Murillo, gerente-geral da farmacêutica para a América Latina. No encontro, Bolsonaro e os ministros Marcelo Queiroga (Saúde), Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil) e Carlos Alberto França (Relações Exteriores) requisitaram a antecipação da entrega das vacinas.

O Ministério da Saúde informou que, ainda em junho, o laboratório deve entregar 12 milhões de doses à pasta. Os envios estão acontecendo em três remessas semanais, com desembarque pelo Aeroporto de Viracopos (SP). O Ceará, inclusive, recebe ainda esta semana um novo lote de imunizantes da farmacêutica.

A parceria firmada com a companhia prevê 100 milhões de doses até setembro. Outros 100 milhões de doses devem ser entregues entre setembro e dezembro.

CPI apura negociação com a Pfizer

A informação de que o Governo Federal ignorou e-mails em série da farmacêutica Pfizer é alvo da CPI da Covid no Senado. Conforme o vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), 81 e-mails foram enviados pela Pfizer ao Governo Federal entre março de 2020 e abril deste ano, mas, segundo ele, em cerca de 90% não houve resposta.

Questionado na CPI, o ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde Élcio Franco argumentou que algumas correspondências citadas pelo senador eram respostas de demandas da pasta e que a empresa também mandava e-mails repetidos.

Entrega das vacinas da Janssen adiada

A entrega de 3 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 da Janssen, que seria feita ao Brasil na última terça-feira (15), foi adiada.

O Ministério da Saúde disse que "a pasta aguarda confirmação da data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao País em três remessas", afirmou.

Na semana passada, a pasta comunicou que os 3 milhões de doses da vacina da farmacêutica contra a Covid-19 que vão chegar ao Brasil ainda neste mês tinha prazo de validade até 27 de junho. No entanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou na segunda-feira (14) a ampliação do prazo de validade do imunizante.

Com a decisão, o imunobiológico sai do prazo de vencimento de três para quatro meses e meio, caso esteja armazenado de 2 °C a 8 °C.

Importação excepcional da Sputnik V

Também na última terça-feira (15), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu autorização para a importação excepcional da vacina Sputnik V pelos estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil