Operação para prender suspeitos de fraudar R$ 1,1 mi em contas bancárias tem alvos no Ceará

Por telefone, os suspeitos orientavam os clientes a digitarem os dados da conta corrente e a senha bancária no teclado do próprio celular

A Polícia Civil desarticulou, na manhã desta quinta-feira (6), uma quadrilha que fraudou, pelo menos, R$ 1,1 milhão em contas bancárias do Distrito Federal. Os trabalhos investigativos cumpriram 50 mandados judiciais no Distrito Federal e nos estados do Ceará, Bahia, São Paulo, Santa Catarina e Paraíba. 

De acordo com a polícia, a quadrilha se passava por funcionários de bancos e entrava em contato com as vítimas para alertar sobre uma suposta fraude. Por telefone, os suspeitos orientavam os clientes a digitarem os dados da conta corrente e a senha bancária no teclado do próprio celular. A operação foi denominada de "XCoderX", em referência ao método adotado pelos suspeitos.

Acesso livre nas contas dos clientes

As investigações apontaram também que, após o contato telefônico, as vítimas eram orientadas pelos criminosos a ir até um caixa eletrônico para gerar um QR Code, espécie de código de barras, que deveria ser enviado para os criminosos por meio de uma aplicativo de mensagens. Com os dados pessoais dos clientes e do QR Code, os suspeitos instalavam um aplicativo do banco em outros celulares e, assim, passavam a realizar uma série de saques e transferências na conta da vítima. Ao todo, 37 moradores do DF registraram ocorrências na Polícia Civil.

Se comprovada a autoria dos crimes, os presos vão responder pelos crimes de furto mediante fraude, organização criminosa e lavagem de dinheiro. As penas podem chegar a dez anos de reclusão.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil