Brasil já tem transmissão comunitária da variante Ômicron; primeiro caso foi confirmado em São Paulo

Paciente é idoso, não havia viajado para o exterior e está isolado em casa, se recuperando

variante covid omicron
Legenda: A informação acerca do quarto caso em São Paulo foi divulgada neste sábado (11)
Foto: AFP

O quarto caso de Covid-19 pela variante Ômicron foi confirmado no Estado do São Paulo. Pela primeira vez, o infectado com a nova variante é um paciente que não tinha viajado para o exterior. O comunicado foi divulgado neste sábado (11) pela Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, o que indica a transmissão comunitária da cepa dentro do estado.

O homem de 67 anos já estava vacinado e recebido a dose de reforço, com Pfizer. O diagnóstico veio no último dia 7 de dezembro, após teste de PCR. Com a positividade do exame, a amostra foi submetida a um sequenciamento genético, que apontou a presença da variante Ômicron.

Até o momento, os sintomas relatados pelo idosos são considerados leves e ele segue isolado em casa, se recuperando. Ainda conforme a Secretaria da Saúde de São Paulo, a vigilância sanitária do estado agora procura pessoas que entraram em contato com o homem com objetivo de tentar identificar se alguma delas positiva para Covid-19 e com a nova variante.

CASOS ANTERIORES

 

A primeira confirmação de alguém infectado pela Ômicron e em solo paulista aconteceu no fim do mês de novembro deste ano. Até o momento, os quatro casos identificados indicam sintomas leves o que, segundo especialistas, está associado à eficácia das vacinas.

Ao confirmar o terceiro caso desta variante, o Estado de São Paulo recuou e desistiu de liberar o uso de máscara de proteção ao ar livre

A secretária executiva de Vigilância e Regulação em Saúde do Ceará, Ricristhi Gonçalves, disse em entrevista recente concedida ao Diário do Nordeste que agora estamos diante de uma variante com muito mais mutações do que a delta. 

"É uma variante que exige cuidado com aglomerações. No Ceará, as grandes festas de fim de ano estão proibidas, e existe uma restrição de público para as que vão acontecer. Vamos reforçar a testagem em todo o Estado, reforçar o sequenciamento das amostras junto à Fiocruz e ao Lacen", se comprometeu a secretária.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil