Trio mantém motorista de aplicativo refém para usar carro em assalto a moradores em calçadas

O motorista não ficou ferido. Somente um suspeito foi preso até o momento

carro de aplicativo sendo rebocado após assalto
Legenda: O carro foi recuperado com danos após perseguição policial
Foto: Darley Melo

Um motorista de aplicativo foi mantido refém durante assalto na noite deste sábado (11), na Barra do Ceará, na Capital. O trio suspeito utilizou o carro para roubar celulares de moradores que estavam nas calçadas, em Iparana, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Um homem foi preso. 

Segundo a Polícia, ao chegar para buscar os falsos passageiros, na Barra do Ceará, o profissional teve as mãos amarradas e foi transferido para o banco de trás do carro. Ele foi mantido refém e o trio seguiu para Iparana, para efetuar assaltos. 

Crime desvendado 

O crime começou a ser desvendado porque, horas antes de assaltar o motorista, os suspeitos assaltaram o celular de um motoqueiro. O homem foi acionado para fazer uma entrega em um endereço na Barra do Ceará e, ao chegar ao local, teve o celular roubado. 

À noite, a namorada da vítima desconfiou da movimentação do aplicativo de transporte e acionou a Polícia. Ela possuía a mesma conta do companheiro e viu uma solicitação de corrida da Barra do Ceará para Iparana. 

Em Iparana, um morador que havia sido assaltado anotou a placa do veículo e ligou para comunicar o caso à Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). A Polícia interligou as duas ocorrências e começou a busca.

Perseguição

Houve perseguição quando o trio retornava para a Barra do Ceará. Dois suspeitos fugiram. Um deles chegou a levar um tiro, mas seguiu em fuga. O terceiro foi preso e reconhecido por uma das vítimas como a pessoa que estava armada e tomou celulares de assalto.

No carro, foram encontrados seis aparelhos celulares e um revólver calibre 38, segundo a Polícia. O motorista não ficou ferido. O veículo teve danos, mas foi recuperado. 

A identidade dos suspeitos ainda não foi divulgada.

O  Diário do Nordeste solicitou mais detalhes à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS) e aguarda retorno. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança