Sete suspeitos são presos em operação contra estelionatários no Ceará

Além das prisões, computadores, cartões e oito maquinetas foram apreendidos durante a operação

Escrito por Redação,

Segurança
Computadores, cartões e oito maquinetas foram apreendidos durante a operação da PC-CE
Legenda: Ação tem o objetivo de capturar alvos ligados a um grupo criminoso especialista em falsificação de documentos
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Três mulheres e quatro homens foram presos pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), na manhã desta quinta-feira (4), quando foi deflagrada uma operação de combate aos crimes de falsificação de documentos públicos, organização criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro. Os alvos foram presos em Fortaleza e no município de Itapipoca.

O alvo da ação policial é um grupo de estelionatários que atua na Capital e no Interior do Estado. Além das prisões, houve apreensão de computadores, cartões e oito maquinetas.

MacBook e iPhone apreendidos em operação da PC-CE
Legenda: Equipamentos eletrônicos apreendidos pela PC-CE
Foto: Divulgação/PC-CE

De acordo com informações da PC-CE, a operação, intitulada "Hidra", tem objetivo de capturar alvos ligados a um grupo criminoso especialista em falsificação de documentos que solicitavam cartões de créditos a instituições financeiras.

Ao todo, 98 policiais civis cumprem 51 mandados judiciais - sendo 16 de prisão preventiva e 35 de busca e apreensão -, além do sequestro de cinco veículos e bloqueio de 186 contas bancárias.

As investigações são da Delegacia de Combate à Lavagem de Dinheiro (DCLD) do Departamento de Recuperação de Ativos (DRA).

Ainda conforme a PC-CE, os suspeitos foram conduzidos para a DCLD, onde as ordens judiciais foram cumpridas. As diligências continuam para capturar os demais envolvidos.

Denúncia

A população pode contribuir com as investigações com informações que auxiliem os trabalhos policiais. As informações podem ser feitas para o (85) 3285-9179, telefone da DCLD.

Denúncias também podem ser feitas via mensagem de áudio, de texto ou vídeo, ou para o 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou para o (85) 3101-0181, que é número de WhatsApp.