Seduc pede apoio ao Exército para garantir aulas em escola ocupada por policiais amotinados

A EEFM José Bezerra de Menezes teve o cadeado arrombado, e as pessoas que adentraram se identificaram como policiais

Legenda: Ao todo, 565 alunos estão matriculados na unidade.
Foto: Foto: Reprodução

A Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc) enviou um ofício ao comandante da 10ª Região Militar, general Cunha Mattos, responsável pela Operação Mandacaru, solicitando apoio para garantir as aulas na Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) José Bezerra de Menezes. A unidade foi ocupada por pessoas que se identificaram como policiais. 

O documento foi encaminhado na tarde deste sábado (29). Na última segunda-feira (24), conforme descrito no ofício, a escola situada na Rua Anário Braga, próxima ao 18º Batalhão da Polícia Militar, teve o cadeado arrombado na entrada e foi invadida. 

Questionados pelo vigilante no local, os supostos policiais informaram que ocupariam o espaço da escola. Conforme o documento, está sendo ocupado um bloco de cinco salas de aula, além das dependências da cozinha e os banheiros que são utilizados pelos estudantes. 

Ao todo, 565 alunos estão matriculados na unidade. “Tal contexto inviabiliza o funcionamento da referida escola, tendo em vista que os espaços hoje ocupados são essenciais para a retomada regular às aulas na escola. Diante do acima exposto, solicitamos o apoio desse Comando para que as aulas da EEFM José Bezerra de Menezes não sejam prejudicadas”, descreve o ofício enviado. 

O Diário do Nordeste entrou em contato com a 10ª Região Militar para saber o que será feito a respeito da ocupação, e aguarda resposta.