Quadrilha é presa com quatro toneladas de fios furtados em Fortaleza

Foram apreendidas ferramentas como alicates, serra elétrica, um carro e um caminhão

Escrito por Isaac Macêdo e João Lima Neto,

Segurança
Homens foram presos durante ação no bairro José de Alencar
Legenda: Homens foram presos durante ação no bairro José de Alencar
Foto: Divulgação/Polícia Militar

Uma quadrilha foi presa com cerca de quatro toneladas de fios furtados, no bairro Alagadiço Novo, na madrugada desta terça-feira (21). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), quatro homens foram capturados com equipamentos, além de um carro e um caminhão. 

Inicialmente, a Polícia divulgou que foi apreendido uma tonelada do material, mas, ao longo do dia, a quantidade foi corrigida para quatro toneladas.

"Na Avenida José Américo, houve uma ocorrência repassada pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). Dava conta que dois homens em um veículo celta prata estavam furtando fios. Através do videomonitoramento, identificamos um celta, um caminhão carregado coma carga de fios furtado e prendendo as quatro pessoas", explicou o comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Alexandre Silveira.

Equipamentos apreendidos com homens presos
Legenda: Equipamentos apreendidos com homens presos
Foto: Divulgação/Polícia Militar

Segundo a SSPDS, os presos foram identificados como Antônio Irineudo da Cruz e Silva, de 34 anos, que já responde a dois inquéritos policiais por furto; Luiz Carlos do Nascimento, 35, com antecedente criminal por tentativa de homicídio; Kellison Mateus dos Anjos Silva, 24, e Raimundo Ednilson Sombra da Silva, 31, ambos sem passagem.   

Com eles, foram apreendidas, conforme o levantamento inicial, aproximadamente quatro toneladas de cabos de fibra óptica, equipamentos utilizados para a extração do material e os dois veículos — entre eles o caminhão onde estava a fiação.

O grupo foi levado ao 13º DP, onde foi autuado em flagrante por furto qualificado mediante o concurso de pessoas. A Polícia Civil investiga se há envolvimento de outras pessoas com os suspeitos.