Polícia investiga desaparecimento de irmãs, de três e quatro anos, em Jijoca de Jericoacoara

Mãe e padastro afirmam que as crianças foram passar o fim de semana na casa do pai, e os três não foram mais vistos

Fachada delegacia jijoca de jericoacoara
Legenda: Polícia Civil de Jijoca de Jericoacoara investiga desaparecimento
Foto: Reprodução/SSPDS

A Polícia Civil está investigando o desaparecimento de duas crianças, uma menina de três e outra de quatro anos, no município de Jijoca de Jericoacoara. Segundo a mãe das crianças, elas foram deixadas na casa do pai, na última sexta-feira (30), onde passariam o fim de semana e deveriam retornar no domingo (2), o que não aconteceu. 

A mãe e o padrasto das meninas, que não serão identificados, afirmam que as irmãs foram deixadas na casa do pai e, depois disso, os três não foram mais encontrados. 

O padrasto das crianças, empresário e pai de outra criança de dois anos, era responsável por levar e buscar as enteadas na casa do pai. Ele conta que deixou as crianças às 18h de sexta-feira (30), uma hora mais cedo que o de costume, a pedido do pai.

"No domingo, quando eu fui buscar, às 19h, ele não estava mais em casa. As luzes todas apagadas, aí a gente já imaginou o pior", disse.

A mãe das meninas, que está separada do pai das filhas há dois anos, afirma que já imaginava que isso pudesse acontecer e alega que o homem tem um comportamento agressivo. Ainda segundo a mulher, ela e as filhas tinham medida protetiva contra o ex-marido desde dezembro de 2019. Em dezembro do ano passado, o homem conseguiu a retirada da medida protetiva das filhas. 

"Após mais ou menos um ano de medida protetiva delas, ele conseguiu autorização na Justiça para quebrar a medida protetiva, retirar, para ter direito à visita, alegando que ele queria exercer a paternidade dele", conta a mãe.

Pai e crianças sumiram

O casal conta que, ainda na noite de domingo (2), procurou a delegacia para prestar Boletim de Ocorrência (BO) do desaparecimento. Um dia depois, na noite de segunda-feira (3), a Justiça emitiu mandado de busca e apreensão, e os policiais arrombaram a casa, segundo o padrasto.

"A gente foi ontem às 19h junto com o delegado e a equipe da força policial até o local da casa dele. Fizeram o arrombamento da casa e não encontraram nada. Absolutamente nada", explica o empresário. 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que há investigação sobre o caso em andamento. "Mais informações serão divulgadas em momento oportuno para não atrapalhar as investigações", disse a pasta.

A mãe das meninas revela que ninguém conhecido tem notícias do homem e que a advogada dele, responsável pelos processos da guarda das crianças, também afirmou não saber o que estaria acontecendo. 

"O telefone estava desligado, WhatsApp não via desde sexta-feira. Ninguém da família, das pessoas que eu entrei em contato, sabe dele. Os vizinhos não veem ele desde sexta e ninguém sabe notícias dele. Nada", relata a mãe. 

"As minhas filhas só têm três e quatro aninhos e elas precisam de mim, e eu preciso delas. A gente nunca ficou longe", lamenta. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança