Compositora usa nome de produtor de Michel Teló, aplica golpe em cantora de forró e é presa

Vítima pagou R$ 87 mil, acreditando que teria seu DVD produzido por Dudu Borges

Complexo de Delegacias Especializadas (Code)
Legenda: Suspeita foi presa e levada para a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF)
Foto: Darley Melo

Uma mulher foi presa em flagrante, na tarde desta quarta-feira (21), em Fortaleza, suspeita dos crimes de estelionato e falsidade ideológica. Ela foi detida em um hotel, no bairro Aldeota, área nobre da Capital. As vítimas são profissionais da música e chegaram a pagar R$ 87 mil. 

Para aplicar os golpes, ela usava o nome do produtor musical Dudu Borges, conhecido no cenário nacional por trabalhar com artistas como o cantor Michel Teló e a dupla Jorge & Matheus

Segundo o advogado de uma das vítimas, a cantora Giselle Café, ela chegou a pagar R$ 87 mil acreditando que teria seu DVD produzido pelo profissional, com a promessa de participações especiais de artistas com renome no País.

Pela demora na produção, a vítima viajou a São Paulo a procura do produtor, foi quando se deu conta que estava sendo vítima de um golpe. A cantora então procurou a polícia e registrou um Boletim de Ocorrências (BO). 

Segundo o advogado Bruno Queiroz, a suspeita é compositora e tinha relacionamentos no meio musical, além de deter informações sobre a rotina do produtor Dudu Borges, conseguindo, assim, enganar a vítima. 

"Ela fez amizade com a Giselle em uma oficina de compositores e então passou a se apresentar como uma pessoa muito próxima do Dudu. O golpe foi muito bem arquitetado. A partir daí ofereceu a Giselle possibilidade de gravar um CD por um preço de custo. Usou contrato com falsificação de assinatura e cometeu golpe com auxílio de outras pessoas", informou.

Presa em hotel

O delegado titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), Andrade Júnior, explica que após o andamento das investigações, a suspeita pediu mais R$ 20 mil à vítima, sendo presa em um hotel no bairro Aldeota, no momento em que o pagamento seria efetuado. 

"Ficou comprovado se tratar de uma estelionatária, que ia retirar mais R$ 20 mil reais da vítima. Ela apresentou um documento com uma falsa procuração como se realmente fosse representante do produtor e, nessas circunstâncias, depois que a ocorrência foi devidamente analisada, foi determinada a prisão em flagrante", disse o delegado.

A suspeita se apresentou a polícia como Yona Cunha Torres, mas as autoridades ainda vão investigar se este é seu nome real. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança

Assuntos Relacionados