Planalto sinaliza flexibilizar proposta de reforma da Previdência

Pontos da proposta inicial de reforma da Previdência podem ser alterados após negociações no Congresso

Legenda: Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni garante a presença de Bolsonaro no debate sobre a PEC
Foto: Agência Brasil

Aliados do Palácio do Planalto no Congresso Nacional começaram a discutir a flexibilização da reforma da Previdência para tentar diminuir os focos de resistência à proposta apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro na semana passada.

O primeiro recuo em debate com a oposição trata da aposentadoria do trabalhador rural. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, evitou, nesta quarta-feira, comentar mudanças em pontos da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Nova Previdência, principalmente o Benefício de Prestação Continuada (BPC) pago a idosos e a aposentadoria rural. "Calma, está sendo negociado, acertado", afirmou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, defendeu, nesta semana, que as mudanças no BPC e na aposentadoria rural sejam retiradas da pauta da Previdência e avaliadas separadamente. Sobre a possível negociação de cargos para a aprovação da PEC, Onyx afirmou apenas: "Estamos conversando".

Onyx afirmou que Bolsonaro vai participar ativamente na discussão sobre a reforma da Previdência na sociedade depois do Carnaval. "É muito importante a presença do presidente nesse debate da Previdência", disse o ministro.

Ele ainda afirmou que os militares ficaram de apresentar um projeto de reforma da carreira em 30 dias. O ministro voltou a dizer que quer aprovar a reforma até junho nas duas casas e disse esperar que, até lá, todas as carreiras (civil e militar) estejam "no mesmo patamar".

Ele considerou como "cláusula pétrea" e "inegociável" no Governo conseguir, "no mínimo", uma economia de R$ 1 trilhão em 10 anos com a aprovação da reforma.

Debate sobre a reforma

O secretário de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, rebateu a avaliação de que Jair Bolsonaro não tem se empenhado na comunicação da reforma da Previdência. "O presidente está envolvido, mas sem cacarejar demais da conta", disse.

Conversa com oposição

Recém-indicada como líder do Governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) reafirmou que procurará a oposição para discutir um eventual apoio à aprovação da reforma da Previdência. Para ela, a pauta demanda união de todos os partidos, independentemente da posição política.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de política?

Assuntos Relacionados