Novo prefeito terá R$ 800 milhões em caixa, anuncia Roberto Cláudio em sessão da Câmara

Ele participou, nesta quarta (5), da sessão de retomada dos trabalhos presenciais na Câmara Municipal, que foi marcada também por embates entre base e oposição

fotografia
Legenda: A sessão, inclusive, foi marcada por embates políticos entre parlamentares da base e oposição, dando uma amostra de como devem ser as discussões durante o período eleitoral na Casa
Foto: Camila Lima

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) anunciou, na manhã desta quarta-feira (5), que o novo gestor da Cidade terá R$ 800 milhões em caixa para investimentos. De acordo com ele, mesmo com o cenário de pandemia, a gestão atual irá entregar as contas municipais em dias e com dinheiro em caixa. O anúncio foi feito durante a sessão de retorno dos trabalhos presenciais na Câmara Municipal de Fortaleza, da qual Roberto Cláudio participou de forma remota.

"Depois de ter dado aumento salarial, pago servidores, ter feito o maior investimento da história, vamos deixar o plano da cidade pronto e mais R$ 800 milhões em caixa para investimentos futuros", afirmou Roberto Cláudio, acrescentando que o resultado só é possível graças ao superávit primário obtido em 2018 e 2019.

A participação do prefeito pegou muitos parlamentares de surpresa, porque a abertura dos trabalhos foi simbólica por conta da interrupção presencial nas sessões, que continuaram acontecendo de maneira virtual. Agora, elas seguirão de forma híbrida, com 22 parlamentares em plenário e o restante participando virtualmente dos gabinetes ou de casa.

Para garantir um retorno seguro, a Câmara adotou uma série de protocolos recomendados pelas autoridades de saúde. Entre eles, estão sanitazação de todo o prédio, incluindo plenário e gabinetes; distribuição de pontos de álcool em gel por toda a Casa; sinalização para manter o distanciamento social; além de testagem da Covid-19 em servidores, parlamentares e em profissionais da imprensa responsáveis por fazer as coberturas no local. Só estava autorizado a entrar quem recebeu diagnóstico negativo para a doença.

Retorno

A sessão também foi marcada por embates políticos entre parlamentares da base e oposição, dando uma amostra de como devem ser as discussões durante o período eleitoral na Casa. A tribuna deve ser o principal espaço de disputa dentro do plenário, para que os parlamentares façam as discussões para os seus eleitorados.

Parlamentares negam cunho eleitoral nos embates, mas dizem que não vão abrir mão do espaço para apresentar seus pleitos, desde fiscalização a busca por melhorias em suas bases eleitorais.

Sobre a possibilidade de a tribuna virar palanque eleitoral, o presidente da Casa, vereador Antônio Henrique (PDT), disse que pediu aos parlamentares para deixar o embates eleitorais longe da tribuna, porque "nós temos um compromisso com a população até 31 de dezembro". As discussões no retorno, no entanto, dão outro tom sobre clima na Casa nesse segundo semestre.

Agradecimentos e alfinetadas

O prefeito aproveitou para agradecer aos vereadores pelo apoio na aprovação de projetos emergenciais do Executivo para a saúde e para a assistência social no cenário de pandemia e também alfinetou parlamentares da oposição, que tentaram atar o seu Governo durante a crise.

"Suspeitem dos autossuficientes, suspeitem da arrogância daqueles que não são capazes de dialogar, suspeitem daqueles que falam grosso no microfone, mas falam fino à frente dos poderosos. Muitas vezes causa indignação para aqueles que tem honra, receber pelo caminho da maldade, da fake news, uma crítica injusta. Mas o tempo tratou de engrossar o meu couro e o povo não gosta de troca de ofensas", enfatizou.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de política?