Ceará define nova meta para base e planeja ser referência nacional na revelação de jogadores

Com 150 indicações por mês, o clube vai mapear o território nacional em busca de promessas

João Victor em ação pelo Ceará
Legenda: João Victor está na Seleção Brasileira Sub-17 e defende o Ceará no profissional
Foto: Fernando Ferreira / Ceará

Com uma das melhores categorias de base do Nordeste, o Ceará definiu um projeto a longo prazo: se tornar referência nacional na captação de novos talentos. Com atletas convocados para a Seleção Brasileira, o clube traçou um plano macro para mapear promessas em todo o território nacional.

O objetivo é ampliar as buscas por atletas em potencial através de escalas locais e regionais. A gestão ampliou parcerias com olheiros de todo o país e também investiu na chegada de captadores profissionais: o último contratado prestava serviços ao Grêmio e irá se apresentar em julho.

“O plano é massificar a busca por jogadores. A gente quer mapear nomes cada vez mais cedo para dar o perfil do Ceará, de identidade, da maneira de jogo. É formar desde o início mesmo e antecipar as etapas para ter novos nomes revelados"
Sandro Queiroz
Gerente da base do Ceará

A escolha de expandir os trabalhos na Cidade Vozão, em Itaitinga, ocorre em momento de consolidação da formação alvinegra, com aproximação da CBF e revelações como o atacante João Victor, de 17 anos. Em ascensão, o clube recebe indicações de 150 jogadores por mês.

Novo planejamento da base do Ceará

  • Parceria com olheiros de todas as regiões do Brasil para buscar atletas
  • Período de teste semanal na Cidade Vozão após filtragem da captação
  • Investimento em novos captadores profissionais com foco na base
  • Maior uso de atletas formados 100% no clube
  • Disputar competições de nível alto com atletas mais jovens
  • Usar os principais nomes em jogos do profissional, como atacante João Victor
  • Construção de um campo sintético na Cidade Vozão (melhoria estrutural)
  • Alargamento dos campos atuais da Cidade Vozão (melhoria estrutural)

O processo foi maturado pela gestão nos últimos anos. Em 2020, com o avanço da pandemia de Covid-19, o Vovô foi um dos únicos clubes da Série A que não diminuiu a receita destinada para formação, em ação realizada apenas por Atlético-MG, Corinthians e Fluminense.

Linha de produção

Na escala de metas, a gestão deve diminuir as contratações para o Sub-20 e aproveitar os jovens captados no processo nacional. A “linha de produção” envolve formar atletas e conceder experiências em eventos de idades acima.

Davi realiza passe em treino da Seleção Brasileira Sub-17
Legenda: O meia David, revelado pelo Ceará, teve convocação em outubro de 2020 para Seleção Brasileira Sub-17
Foto: Mauro Horita / CBF

Assim, os mais talentosos serão utilizados em categorias superiores para eventos nacionais, como Aspirantes e Campeonatos Brasileiros. O zagueiro Rhuan, por exemplo, foi convocado para o Brasil Sub-15 e defenderá o Ceará no Sub-17 ao retornar.

O trabalho estimula a maturação e o desenvolvimento dos jogadores, além de reduzir a pressão quando ganharem chances no elenco principal. Em paralelo, a iniciativa também incentiva a CBF a seguir o monitoramento de novas promessas alvinegras.