Único estádio municipal, PV deve ter obras iniciadas em dezembro

Após desativação do hospital de campanha para tratar pacientes com Covid, o Estádio Presidente Vargas tem processo licitatório para recuperação e reforma do gramado. A escolha da empresa está prevista para 11 de novembro

Presidente Vargas no início da montagem do hospital de campanha, que agora está sendo desmontado
Legenda: Presidente Vargas no início da montagem do hospital de campanha, que agora está sendo desmontado
Foto: José Leomar

Um espaço com dever social e em busca do retorno ao âmbito esportivo. Após servir para instalação de um Hospital de Campanha da Covid-19, o Presidente Vargas (PV) tem previsão de início das obras para reforma e reconstrução do gramado em dezembro.

O único estádio municipal da Capital recebeu processo licitatório, encaminhado à Central de Licitações da Prefeitura de Fortaleza (CLFOR), com recebimento das propostas dos contratantes no dia 11 de novembro. Caso não haja atraso no procedimento - como recurso das empresas participantes - prazo de conclusão da obra é seis meses contados desde a ordem de serviço.

Apesar da situação, com os prazos descritos na licitação, o PV não será cedido para disputa do Campeonato Cearense de 2021. Até o momento, a Federação Cearense de Futebol (FCF) não solicitou o equipamento voltado ao Estadual. Assim, somente a Arena Castelão deve ser o aparelho de Fortaleza ocupado no torneio.

O documento expedido indica valor total de R$ 2.094.317,72. Os candidatos a disputar o valor estão reclusos a instituições de países membros do BRICS (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul).

Dentre as tarefas previstas pela Prefeitura, o escolhido na licitação deve realizar execução de: grama tipo Bermuda Celebration (padrão FIFA para Copa do Mundo); de grama sintética; de camada de drenagem com pedra britada e/ou brita; além de sistema de irrigação automatizado.

No plano de desenvolvimento, os três primeiros meses desde a escolha da empresa terão como foco o canteiro de obras, demolições e retiradas, preparação do terreno, execução das camadas de aterro, instalação do gramado natural e do gramado sintético, drenagem e irrigação. A sequência do cronograma, com plantio efetuado, será para as manutenções e tratamentos do gramado natural.

A reforma do gramado do PV já era uma obra prevista para acontecer, mesmo antes da pandemia do novo coronavírus. O prefeito Roberto Cláudio havia acordado com os presidentes do Ceará, Robinson de Castro, e do presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, a realização da intervenção.

Atenção na pandemia

A desativação do Hospital de Campanha no PV começou em 21 de setembro. No período foram realizados 1.239 atendimentos - 1.025 pacientes tiveram alta. Equipamento foi construído em material metálico e área de mais de 3.500m², com base em concreto e estrutura de saneamento.

Em discussão interna, a reconstrução do hospital no estádio não é algo descartado de acordo com atualização dos dados epidemiológicos. No entanto, há compreensão de que, em caso de início da obra de reforma do Presidente Vargas, uma eventual necessidade de unidade hospitalar será destinada para outro setor.

Vale ressaltar que o estádio, localizado no bairro Benfica, foi inaugurado em 14 de setembro de 1941. Na época, o único campo gramado da cidade. A última reforma realizada foi entre fevereiro de 2008 e abril de 2011. A obra reduziu a capacidade do equipamento para 20.166 torcedores sentados.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte