Messi pede para deixar o Barcelona e agita o mundo do futebol

Craque argentino quer usar cláusula do contrato para deixar clube, mas diretoria afirma que prazo para pedido expirou. Torcida fez protesto em frente à sede do Barça, que diz que atacante só sai com multa de R$ 4,5 bilhões paga

Legenda: Messi avisou ao Barcelona que quer deixar o clube
Foto: Manu Fernandez / POOL / AFP

Lionel Messi lançou uma bomba: depois de duas décadas defendendo as cores do Barcelona, o craque argentino disse ao clube que quer deixá-lo "unilateralmente" após várias temporadas de derrotas estrondosas na Europa. A notícia vinha sendo especulada desde o doloroso 8 a 2 sofrido nas quartas de final da Liga dos Campeões, contra o Bayern de Munique, o fundo do poço de uma temporada de decepção do argentino de 33 anos com o projeto esportivo do Barça.

E por meio de um "burofax" enviado por seus advogados, Messi confirmou sua vontade de "rescindir o contrato unilateralmente", disse um porta-voz do Barcelona.

O astro se valeu de uma cláusula incluída em seu contrato pela qual poderia pedir para deixar o clube livremente no final da temporada, mas ela "expirou em 10 de junho". Portanto, "o clube considera o contrato em pleno vigor até 30 de junho de 2021".

Isso pode significar o início de uma batalha judicial, já que a pandemia de Covid-19 alterou o calendário da temporada, finda com dois meses de atraso.

Protesto da torcida

Cerca de 100 torcedores se reuniram próximo ao Camp Nou para protestar contra a diretoria aos gritos de "Fora Bartomeu!" e "Fica Messi!". "Não consigo assimilar que ele está saindo. Quero acreditar que é um impulso contra a diretoria para que Bartomeu (presidente do clube) saia", disse Rubén Tejero, de 28 anos, com o 10 de Messi nas costas.

Legenda: Torcedores protestam para Messi ficar e presidente do Barça sair
Foto: Pau Barrena/AFP

"Mais fora do que dentro"

Depois de meses demonstrando publicamente insatisfação com o rumo de um clube em queda livre e vivendo uma temporada catastrófica tanto no esporte quanto na parte burocrática, com desavenças entre a equipe e a diretoria comandada por Josep Maria Bartomeu, Messi entrou em ação.

O hexacampeão da Bola de Ouro teria manifestado suas dúvidas em reunião com o novo técnico Ronald Koeman, a quem ele teria garantido que olhava "mais para fora do que para dentro" do clube.

O envio do burofax ocorre apenas um dia após Koeman, que veio para renovar o elenco, informar ao atacante uruguaio Luis Suárez, amigo de Messi, que não contaria com ele na próxima temporada.

Fim do caso de amor?

Se a saída se consolidar, será o fim de uma longa história de amor entre "La Pulga" e Barça: após chegar no distante ano 2000, quando tinha 13 anos, Messi cresceu em um dos clubes de maior prestígio do mundo para se tornar o "melhor jogador de todos os tempos".

As negociações em torno da sua astronômica cláusula de liberação de ? 700 milhões (R$ 4,5 bilhões) serão decisivas para uma eventual saída do clube, como foi o caso com a transferência de seu eterno rival português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid para a Juventus, em julho de 2018.

Apenas três clubes teriam recursos para arcar com a contratação do argentino: PSG, Inter de Milão e Manchester City, comandado por Pep Guardiola, o treinador que explorou ao máximo o rendimento de Messi.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte