Infecções por Covid-19 afetam 4 jogos das Séries A, B e C e colocam CBF em xeque

O primeiro fim de semana de jogos pelo Campeonato Brasileiro é marcado pela suspensão de duas partidas, entre elas Goiás X São Paulo, pela 1ª divisão. Outros dois jogos com infectados não foram cancelados

Legenda: Jogadores do São Paulo aguardaram no gramado enquanto a CBF tomava uma posição
Foto: Foto: EDU ANDRADE/ESTADÃO CONTEÚDO

A expectativa pelas emoções do futebol na volta dos campeonatos nacionais das Séries A, B e C foi suplantada pela preocupação com o registro elevado de casos de novo coronavírus entre atletas. Mas não foi apenas a constatação da infecção dos jogadores que chamou atenção. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não estabeleceu um critério único para as situações, com jogos resultando em adiamentos e outros não, como caso de CSA/AL X Guarani/SP, pela Série B.

No meio da semana, nove atletas do clube alagoano testaram positivo para a doença e mesmo assim a partida foi mantida no sábado (8), terminando em vitória do azulão.

>Veja mais notícias do futebol cearense

Na Série C, no mesmo dia, o Brusque/SC enfrentou o Ypiranga/RS. A equipe gaúcha contabilizou cinco atletas que testaram positivo para Covid-19, mas a partida também foi mantida. O time catarinense também contou com atleta positivo para a doença, que foi afastado mesmo tendo sido atestado como curado no fim de semana anterior e tendo atuado pelas semifinais do estadual local.

Postura diferente

No domingo, os testes continuaram apontando presença do vírus entre jogadores. Na Série C, a partida entre Treze/PB e Imperatriz/MA, que estava marcada para ocorrer na Paraíba, foi adiada pela CBF previamente após 12 atletas da equipe maranhense registrarem a doença. Como só 19 jogadores haviam viajado, o Imperatriz não tinha sequer uma equipe completa para colocar em campo.

A CBF não teve outra alternativa e adiou o jogo para data ainda a ser marcada.

Todos em campo

Na partida mais importante e com maior visibilidade com casos de Covid-19, a CBF mostrou novamente indefinição nas decisões.

Após 10 atletas do Goiás registrarem o vírus, a mandatária do futebol nacional manteve a partida até minutos antes da bola rolar, com as equipes já uniformizadas e prontas para o apito inicial. Até que uma decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) resolveu suspender o jogo. Minutos depois da sentença, a CBF adiou a partida definitivamente.

Incomodado com o risco a que foi submetido, o lateral direito Daniel Alves, ex-Seleção Brasileira e Barcelona, se manifestou nas redes sociais.

"Eu gostaria de dizer que é inadmissível o que aconteceu hoje, não é por irresponsabilidade que tenhamos que viver esse tipo de coisa que fomos expostos a viver hoje. Ou criamos uma consciência e somos profissionais ou é uma perda de tempo o que estamos fazendo! Se é a vida o mais importante, então o resto não tem sentido! Obrigado por nada!".

O presidente do Goiás, Marcelo Almeida, criticou o São Paulo por ter forçado a realização do jogo. "O São Paulo agiu de forma bastante fria. Veio aqui com o propósito de ir para o jogo, caso ele existisse".

 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?