Compra de ingressos não é liberada para final entre Brasil x Argentina na Copa América; entenda

A partida ocorre neste sábado (10), às 21h, no Maracanã

Maracanã
Legenda: O Maracanã é um dos símbolos do Rio de Janeiro e um dos principais estádios do mundo
Foto: Yasuyoshi Chiba / AFP

A final da Copa América entre Brasil e Argentina, no Maracanã, terá presença de público, mas não haverá venda de ingressos. Apesar da Prefeitura do Rio de Janeiro liberar a ocupação de 10% da capacidade total do estádio neste sábado (10), às 21h, os presentes devem ser convidados.

Segundo o portal Zero Hora, os bilhetes serão repassados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Associação de Futebol Argentino (AFA) e a Conmebol. Até o momento, as entidades não informaram sobre a quantidade de convidados.

O processo é similar ao adotado na decisão da Libertadores em janeiro, quando foi liberado público no jogo Palmeiras x Santos no Maracanã, novamente sem comercialização. A diferença nos dois jogos está no protocolo de ocupação do estádio.

Ocupação do Maracanã

Na Copa América, os convidados precisarão ficar separados entre os setores do equipamento, de modo que cada departamento ocupará 10% da capacidade total. Já na Liberta, todos os convidados foram deslocados para um mesmo espaço.

Atleta do Palmeiras beija a taça da Libertadores em festa com a torcida
Legenda: A final da Copa América de 2020 registrou aglomerações no Maracanã
Foto: Ricardo Moraes / AFP

A tendência é de divulgação do detalhamento da logística dos convidados nas próximas horas. A presença de lideranças políticas, representantes das entidades esportivas e patrocinadores está confirmada. Há expectativa de que a AFA convide argentinos residentes no Brasil para o jogo.

"A gente teve a final da Copa Libertadores, liberamos para que tivesse 5 mil convidados. Eles concentraram todos em um só setor do Maracanã, o que foi problema, a Prefeitura multou. A mudança é essa: 10% de cada setor do estádio, com um espaçamento grande entre as pessoas. São todos convidados e serão testados", declarou Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro.

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte