Cearense disputará Jogos Paralímpicos de Tóquio no tênis de mesa

David Andrade é servidor do Detran e esperança de medalha para o Brasil na modalidade

Legenda: David é cearense e atleta paralímpico do Brasil
Foto: Arquivo Pessoal

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão, que serão disputados entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro, terá um representante cearense que leva o sonho da medalha olímpica na bagagem. David Andrade, de 43 anos, representará o Estado, na modalidade Tênis de Mesa, na qual já conquistou resultados expressivos. Ele disputará em equipes e individual.

Em 2016, ele participou da edição realizada no Rio de Janeiro, onde a medalha escapou por muito pouco, na categoria Dupla. Após vencer uma das equipes favoritas ao ouro, a Coreia do Sul, David Andrade e seu parceiro terminaram a competição na 4ª colocação, sendo superados pela dupla da Tailândia, que ficou com o bronze.

Além disso, ele conquistou medalha de prata no tênis de mesa nos Jogos Para-Pan Americanos 2019, disputados em Lima, no Peru.

Os resultados expressivos fazem David ter esperança de medalha para o País;

"Já participei da última edição e ficamos em 4º em equipes. A expectativa é muito boa. Desde em que eu atingi o índice olímpico em 2018 que eu venho treinando, apesar da pandemia ter atrapalhado, tenho uma mesa em casa e  tive um acompanhamento de um profissional no tênis de mesa. Estou dando o máximo. Estou bastante focado para trazer um resultado inédito para o nosso Ceará".
David Andrade
atleta paralímpico

O paratleta é cearense e mora no Eusébio, onde trabalha em um posto do Detran. No órgão, ele é agente de trânsito.

Legenda: David é servidor do Detran no Eusébio e foi recebido pelo superintendente do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), Maximiliano Quintino devido sua classificação para Tóquio
Foto: Natinho Rodrigues | ASCOM – Detran/CE

Tênis de Mesa

Davia relatou como começou sua paixão pelo tênis de mesa, que surgiu quase por acaso.

"Eu passava por um processo de reabilitação no hospital e vi que abriu inscrição para modalidades; me escrevi em xadrez, pois minha família tinha tradição em xadrez. Chegando lá, conheci o Eugênio Sales, que era o presidente da Federação de Tênis de Mesa adaptado, que fez o convite para que eu participasse da 4ª Paralimpiada cearense. Relutei, pois não seria viável alguém em uma cadeira de roda jogar um esporte que requer tanta agilidade. Eu nunca joguei quando andava, e quem diria em cadeira de roda. Acabei aceitando. Fui vice-campeão e daí em diante não parei mais de treinar. Coloquei isso como objetivo e atingi competições de grande relevância".  

David tem três medalhas em Paramericanos, é bi-campeão Paramericano em equipes, medalha de ouro em etapas de mundiais.

O cearense segue para São Paulo nos próximos dias, onde finalizará a preparação e, de lá, embarca rumo ao Japão, onde espera conquistar a tão sonhada medalha olímpica.

"Eu devo viajar para São Paulo no dia 18 para o Centro Paralímpico, onde farei o treinamento até o dia da viagem, entre o dia 3 a 5 de agosto, para o Japão. Espero fazer a melhor preparação possível. Estou dando o meu máximo e espero conquistar a sonhada medalha para o Ceará e o Brasil".

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte