PSL estuda punições a dissidentes que apoiam Bolsonaro

A possibilidade de os filiados deixarem o partido, caso o presidente abandone a legenda, passa a ser encarada pelo núcleo da sigla como fato, e sanções já começam a ser consideradas para punir eventuais "traidores"