MEMORANDO ASSINADO

Refinaria: projeto será apresentado até junho

O projeto está avaliado em US$ 4,5 bilhões, sendo US$ 500 milhões para o terminal portuário de petróleo

O governador Camilo Santana assinou, ontem, um acordo em relação ao financiamento dos projetos da refinaria e de um empreendimento na área da Saúde
01:00 · 07.12.2017 por Hugo Renan do Nascimento - Repórter
Assinatura de memorando entre representantes do Governo do Estado e os chineses foi mais um passo para a concretização da refinaria

A assinatura do Memorando de Entendimento ontem (6), em São Paulo, entre o Governo do Estado e o Banco de Desenvolvimento da China, marca mais uma fase para a instalação de uma refinaria no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) e a concretização de parcerias na área de Saúde. De acordo com o secretário de Assuntos Internacionais, Antônio Balhmann, o próximo passo é a apresentação do projeto técnico da planta de refino para os agentes financiadores. "Nós temos um cronograma que indica que até o fim do primeiro semestre de 2018, em junho, acontecerá essa apresentação para o banco chinês. O julgamento do projeto levaria em torno de seis meses", explica o secretário.

O documento, de acordo com ele, consolida uma pactuação para construção de estratégias em prol do desenvolvimento econômico do Estado, e possibilita que empresas implantem e patrocinem projetos locais relevantes. O memorando está em vigor pelo período inicial de três anos e poderá ser prorrogado caso haja consentimento futuro mútuo das partes.

> Meheco já iniciou projetos em saúde
> Sonho da usina já dura mais de 50 anos

Conforme projeções do governo estadual, a refinaria será implementada em duas fases, com dois trens com capacidade para carregamento de 150 mil barris cada um. "O projeto está avaliado em US$ 4,5 bilhões. Desse valor, US$ 500 milhões serão para o terminal portuário de petróleo. Além disso, tem a parte da petroquímica, avaliada em US$ 3 bilhões. São números que, com certeza, o projeto técnico vai dar", acrescenta Balhmann.

Solenidade

Antes da cerimônia, o governador Camilo Santana participou de uma reunião com o vice-presidente do Banco de Desenvolvimento da China, Cai Dong, e representantes da direção do banco. Durante a conversa, o chefe do Executivo apresentou a situação econômica do Ceará, como a política de atração de investimentos com a Zona de Processamento de Exportação (ZPE), e exibiu um vídeo de apresentação do Estado para os asiáticos.

"Tratamos e assinamos hoje (ontem) um acordo em relação ao financiamento de dois projetos importantes para o Ceará. Um é a refinaria, luta antiga do Estado, e o outro está na área da Saúde, que é o interesse da empresa China Meheco Corporation, uma das maiores empresas da área do mundo que já visitaram nosso Estado e querem se instalar no Ceará. Esse é um momento histórico, muito importante. Mais um passo para a concretização da refinaria. Os chineses farão, em breve, uma nova visita ao Estado. Eles estão analisando o projeto do Pecém, e vamos trabalhar para trazer esse grande empreendimento", garantiu o governador.

Relevância

Camilo destacou aos empresários chineses a importância da refinaria para o desenvolvimento econômico do Ceará, com a geração de empregos e o fomento de novas oportunidades de negócio. "Vamos construir junto com o banco a melhor equação para que esses dois projetos (refinaria e Saúde) sejam realizados", afirmou.

Potencial

O dirigente do banco chinês, Cai Dong afirmou que a iniciativa privada do país enxerga infraestrutura e potencial econômico "impressionante" no Ceará. "Isso dá bastante confiança ao CDB de que Ceará está numa trajetória de crescimento".

A pactuação com o Ceará, segundo aponta o CEO do CDB, é resultado da compreensão da grande importância do mercado brasileiro. "Temos um saldo muito positivo para investir no país e estamos muito satisfeitos com a assinatura deste memorando. Podemos dizer que agora o Ceará é um amigo de cooperação da China", complementou.

Empresas

Para viabilizar a refinaria e o polo petroquímico, a Qingdao Xinyutian Chemical já manifestou interesse de se instalar na ZPE do Pecém. A Qingdao é especializada em pesquisa, desenvolvimento, fabricação e venda de produtos de poliuretano. Possui capital social de US$ 5,07 milhões e uma produtividade anual de 250 mil toneladas de produtos.

Em seu site, a Meheco informa que dedica-se à promoção da saúde humana e ao desenvolvimento da indústria farmacêutica, buscando se tornar uma empresa farmacêutica emblemática na China.

Opinião do especialista

Necessária e útil para o NE

A refinaria no Ceará é mais que necessária e útil para o sistema de abastecimento da Região Nordeste. Realmente nós torcemos para que essa assinatura de intenções possa se transformar em realidade.

A refinaria deverá atender a demanda para os próximos 20 anos e nós sabemos da situação crítica de refino no Brasil. A planta cearense viria para preencher essa lacuna, além de ser mais uma ferramenta de geração de emprego e renda para o Estado. A refinaria cearense ficaria pronta, se tudo der certo, em três ou quatro anos e teria uma produção de 300 mil barris por dia. Este petróleo viria do Golfo do México e da Venezuela e tornaria o Ceará plenamente abastecido com a produção local.

Já em relação à queda de preços dos combustíveis, atualmente isso se dá em referência ao mercado internacional, mas haveria sim uma queda no valor dos produtos porque certamente haveria uma redução dos custos de logística. Hoje isso é muito custoso para os derivados de petróleo que já chegam supridos em navios tanques. Essa gama de fatores logísticos encarecem os produtos e certamente haveria um ganho em grande escala.

Bruno Iughetti
Especialista em Petróleo e Gás

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.