Antônia Fontenelle será investigada na Paraíba por xenofobia após comentários polêmicos

Polícia Civil vai apurar se youtuber cometeu crime de preconceito ou discriminação contra paraibanos

Youtuber Antônia Fontenelle usando óculos escuros
Legenda: Mesmo após ser criticada, Fontenelle manteve posicionamento acerca de expressão xenofóbica
Foto: reprodução/Instagram

A atriz e youtuber Antônia Fontenelle será investigada pela Polícia Civil da Paraíba por possível crime de preconceito ou discriminação contra paraibanos. A apuração verificará comentários xenofóbicos sobre DJ Ivis, atualmente preso devido a agressões contra a ex-mulher, Pamella Holanda. As informações são do portal G1.

A abertura do inquérito foi solicitada pelo delegado Pedro Ivo, da 1ª Delegacia Seccional da Polícia Civil da Paraíba, nessa quarta-feira (14). 

O que Antônia Fontenelle disse

As declarações da youtuber foram feitas após vídeos de agressões do cantor contra a ex-esposa serem divulgados nas redes sociais, no domingo (11). Um dia depois, Fontenelle se posicionou sobre o caso em texto publicado em seu perfil no Instagram.

"Esses 'paraíbas' fazem um pouquinho de sucesso e acham que podem tudo. Amanhã vou contatar as autoridades do Ceará para entender porque esse cretino não foi preso", escreveu ela. Embora DJ Ivis resida no Ceará, ele é natural da Paraíba.

Seguidamente à declaração, diversos artistas, blogs e páginas de entretenimento criticaram o uso da expressão "paraíba" com teor negativo. Criticada, a atriz replicou os comentários — segundo ela, de "bando de desocupado aí da máfia digital que não tem nada o que fazer" — em vídeo, pontuando inclusive que já tinha sido acusada de xenofobia em outra ocasião.

“De novo? Num cola! Já tentaram me acusar de xenofobia. (…) Porque eu falei ‘esses ‘paraíba’ quando começam a ganhar um pouquinho de dinheiro acham que podem tudo. ‘Paraíba’ eu me refiro a quem faz ‘paraibada‘, pode ser ele sulista, pode ser ele nordestino, pode ser ele o que for. Se fizer paraibada, é uma força de expressão”, disse.

Para o delegado Pedro Ivo, as condutas de Fontenelle se adaptam ao tipo penal descrito no art. 20 da Lei nº 7716/1989, o qual define crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Com o inquérito instaurado, serão feitas diligências investigativas, procedimentos periciais e interrogatório de Fontenelle, com envio posterior do procedimento para o Poder Judiciário.

O que diz a defesa após abertura do inquérito

Em nota enviada ao Uol, a defesa de Antonia Fontenelle informou que a intenção da artista nunca foi "ofender" e que ela está sendo "vítima de calúnia". 

A fala, segundo o advogado Gil Ortuzal, foi "retirada de um contexto", já que Antonia se manifestava sobre as agressões de DJ Ivis. “Ela jamais teve a intenção de ofender o povo da Paraíba, apenas manifestou opinião sobre o covarde comportamento de um paraibano em específico, do qual temos certeza que não é orgulho para nenhum de seus conterrâneos no momento", diz o advogado na nota.

"A situação vem causando um abalo imensurável a honra de Antonia, e eventual denunciação caluniosa será apurada, sob as penas da Lei”, conclui o texto.

Juliette se manifestou

A ex-BBB Juliette Freire, paraibana, manifestou-se nas redes sociais, asseverando que as falas da youtuber são xenofobia, não força de expressão. "Não existe 'ser Paraíba' e 'fazer paraibada'. Existe ser PARAIBANA/O, o que sou com muito orgulho", escreveu a advogada e maquiadora, nascida em Campina Grande (PB).

Sem citar Antônia Fontenlle, ela acrescentou: "Tire seu preconceito do caminho, que vamos passar com a nossa cultura e não vamos tolerar atitudes machistas e xenofóbicas de lugar algum".