Laboratório chinês apresenta à Anvisa pedido de uso emergencial de vacina Convidecia

Anvisa tem sete dias úteis para se manifestar sobre o imunizante, caso laboratório tenha apresentado todos os dados

profissional de saúde segura seringa e dose da vacina convidecia
Legenda: Ensaios clínicos da Convidecia foram feitos em países como o Paquistão
Foto: Aamir Quereshi/AFP

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu pedido de uso emergencial de mais uma vacina contra a Covid-19. Desta vez, o pedido para autorização temporária da vacina Convidecia, em caráter experimental, foi feito pela empresa Belcher Farmacêutica, que representa o laboratório chinês CanSino Biologics no Brasil.

Segundo a Anvisa, o pedido foi recebido às 23h26 desta terça-feira (18). Agora, a agência está fazendo triagem para verificar se todas as informações necessárias para avaliação do imunizante foram enviadas pela empresa. 

"A agência deve se manifestar em até sete dias úteis, caso todos os requisitos legais tenham sido cumpridos pela empresa solicitante", informou a Anvisa.

Vacina Convidecia

Conforme informações da Anvisa, a vacina do laboratório CanSino é oferecida em apenas uma dose. O imunizante é produzido a partir de um adenovírus humano não replicante e foi desenvolvido em parceria com a Academia de Ciências Médicas Militares da China.

A Anvisa deve analisar dados de ensaios clínicos da Convidecia desenvolvidos no Paquistão, na Rússia, no Chile, na Argentina e no México. 

Houve reunião entre a agência e representantes do laboratório nos dias 8 e 15 de março. "Nessas ocasiões, foram apresentados os procedimentos necessários e as informações que a empresa deveria fornecer para que a agência pudesse analisar o seu pedido", informou a Anvisa.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil