VÍDEO: Navio Endurance é localizado 107 anos após naufrágio na Antártica

Embarcação de madeira está intacta e com estado de preservação "brilhante", segundo as equipes de buscas

O barco "Endurance", do explorador anglo-irlandês Ernest Shackleton, foi localizado a uma profundidade de 3.008 metros no Mar de Wedell, na Antártica, 107 anos após um dos naufrágios mais famosos da história. O anúncio da descoberta foi feito nesta quarta-feira (9).

"Estamos impressionados com nossa sorte por conseguirmos localizar e captar imagens do 'Endurance'", declarou o diretor da missão de exploração, Mensun Bound, avaliando ser "o melhor barco de madeira naufragado" que já viu. "Está erguido, orgulhoso do fundo do mar, intacto e em um estado de preservação brilhante", relatou o explorador.

Organizada pela Falklands Maritime Heritage Trust, a expedição de busca incluiu quase 100 pessoas. Zarpou da África do Sul em 5 de fevereiro com a esperança de encontrar os destroços.

Há mais de um século, Shackleton tentou cruzar a Antártica, em uma travessia de 2.900 quilômetros através do continente gelado, do Mar de Weddell ao Mar de Roos, passando pelo Polo Sul.

navio endurance
Legenda: Destroços da embarcação foram encontrados no Mar de Wedell
Foto: Falklands Maritime Heritage Trust and National Geographic

Naufrágio

Em janeiro de 1915, porém, o navio ficou preso no bloco de gelo no Mar de Weddell. O barco permaneceu encalhado por meses e, finalmente, foi perfurado pelo gelo e afundou.

A expedição se tornou, então, uma missão de sobrevivência da tripulação, que acampou durante meses e acabou se refugiando na inóspita ilha Elefante.

endurance
Legenda: Equipamento usado na expedição para encontrar o Endurance, navio naufragado em 1915 no Polo Sul
Foto: Falklands Maritime Heritage Trust/AFP

Shackleton partiu em busca de ajuda com alguns companheiros, em um precário bote, até as ilhas Geórgia do Sul, no Atlântico sul, retornou e conseguiu resgatar com vida toda tripulação. A expedição é recordada até hoje como uma viagem heroica.

A expedição que localizou o "Endurance" usou tecnologia de última geração, como drones submarinos, para explorar a região, descrita pelo próprio Shackleton como a "pior parte do pior mar do mundo".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo