Parlamento britânico vota adiamento do Brexit nesta quinta (14); Theresa May tenta salvar acordo

May pedirá aos líderes europeus um curto adiamento, até 30 de junho, para formalizar a saída da União Europeia

Legenda: Primeira-ministra britânica, Theresa May, respondendo ao resultado de uma votação na Câmara dos Comuns em Londres, em 13 de março de 2019, na qual os deputados sinalizaram sua aprovação
Foto: Foto: MARK DUFFY / UK PARLIAMENT / AFP

O Parlamento do Reino Unido deve votar, nesta quinta-feira (14), sobre a possibilidade de adiar o Brexit para além de 29 de março, e a primeira-ministra, Theresa May, está preparada para pressionar os parlamentares a votarem novamente o acordo de separação fechado por ela com a UE, o qual já rejeitaram duas vezes.

O ponto-chave do plano de May será uma tentativa de persuadir os parlamentares mais favoráveis ao Brexit a reverterem o voto da oposição alegando que um possível adiamento pode significar que o Reino Unido termine com uma relação com a UE mais próxima do que o plano de May prevê. Caso contrário, o Brexit pode ser derrubado em um segundo referendo.

Arlene Foster, líder do Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte (DUP), que apoia o governo minoritário de May no Parlamento, mas que até agora votou contra o acordo dela, disse que está trabalhando com o governo para tentar encontrar um modo de sair da UE com um acordo.

Rejeição

Na quarta-feira, o Parlamento rejeitou a perspectiva de deixar a União Europeia sem um acordo, abrindo caminho para uma votação nesta quinta-feira que poderia adiar o Brexit até, pelo menos, o final de junho.

A libra esterlina subiu, com os investidores vendo menos chances de o Reino Unido deixar a UE sem um acordo de transição para facilitar sua saída.

O ministro das Finanças britânico, Philip Hammond, disse que Bruxelas pode insistir em um longo adiamento para o Brexit se o governo do Reino Unido solicitar uma extensão do processo.

Oposição

Uma autoridade do Partido Trabalhista, a oposição britânica, disse que apoiaria uma extensão limitada de data para além de 29 de março, a fim de buscar um acordo que possa ser apoiado por parlamentares.

“Vamos colocar uma emenda para garantir que o Parlamento considere uma prorrogação, não precisa necessariamente ser uma extensão longa”, disse John McDonnell, porta-voz trabalhista, à Sky News. “Iremos com uma extensão limitada hoje.”

Os parlamentares apresentaram emendas à moção do governo sobre o adiamento do Brexit, que devem ser colocadas em votação nesta quinta-feira.

Uma alteração visa excluir um segundo referendo, enquanto outra é para confirmá-lo. Uma emenda do Partido Trabalhista pede uma prorrogação ao Brexit para permitir que o Parlamento encontre um caminho alternativo.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo